20
jul
2014
Crítica: “O Médico Alemão”
Categorias: Críticas • Postado por: Marcela Galvão
OMEDICOALEMAOPOSTER
O Médico Alemão (Wadolka / El Médico Alemán
Lucía Puenzo, 2013
Roteiro: Lucía Puenzo
Imovision

3.5

A trama se inicia quando, a caminho de Bariloche, uma família argentina conhece um homem solitário e pacífico que se apresenta como Helmut Gregor, um médico alemão que faz pesquisas de hormônios do crescimento em animais. Esta mesma família abre em Bariloche sua hospedaria, um lugar perfeito para Gregor ficar.
Gregor, durante sua estadia, se interessa pela garota da família, Lilith (Florencia Bado), uma doce e curiosa menina que, por mais que tenha 12 anos, está acostumada com as pessoas pensarem que esta possui apenas 9.

El médico alemán, ou, como também chamado, Wakolda, é um filme independente escrito e dirigido por Lucía Puenzo, filha do também diretor e vencedor do Oscar de 1986, Luis Puenzo, tendo sido inspirado na história real de Josef Mengele, um médico alemão que atuou durante a 2ª Guerra Mundial e se tornou um fugitivo. Josef Mengele viveu na Argentina, no Paraguai e faleceu em 1979, em Bertioga (SP).

A questão de Lucia foi: o que Mengele fez na Argentina durante todo esse tempo? A história é contada com tamanha perfeição, que conforme vamos descobrindo a identidade de Mengele, o ritmo do filme vai aumentando. Puenza nos deixa detalhes sutis que conforme o filme corre, vão aumentando até o fim. Inclusive, não posso deixar de mencionar: Wakolda é o nome da boneca de Lilith. As bonecas, por sua vez, são uma parte muito importante do filme. Assim como Lilith, as bonecas demonstram lados contrários de Mengele e Enzo (Diego Peretti). Enzo, um criador de bonecas, sonha em criar uma bonce única, como sua filha, que possua um coração.

Mengele ajuda-o a realizar este sonho, e faz a boneca exatamente como Lilith: branca, magra, de olhos e cabelos claros. Um espécime perfeito. Àlex Brendemühl interpreta Mengele de forma magnifica assim como Florencia Bado, ambos adentrando em seus papeis e com uma química adorável. E, sabem, nessa vida de fã de ficção científica, onde tudo são fios e lasers,  ter um filme com uma bela paisagem de Bariloche é maravilhoso! E faço aqui uma menção à Andrés Goldstein e Daniel Tarrab, encarregados da trilha sonora.

Enfim, é um bom filme. Talvez a classificação de “suspense” tenha sido errada – sim, é um suspense, mas da forma como corre ele me lembra mais um drama. Então, não criem expectativas caso assistam o trailer (o qual eu fui asssitir depois e passa a impressão de que o filme é uma ação do inicio ao fim).

Mas, caso fiquem curiosos, “O Médico Alemão” fica em cartaz no Cine Com tour, aqui em Londrina, até dia 30/07. Eu gostaria de ficar e contar mais sobre, mas ah… Por que não vão assistir?



Fã de Nolan, Kevin Smith e Von Trier. Chora em “Toy Story”, assiste Grease toda vez que está passando na televisão e tem pavor de filmes com animais falantes. Torce pra a dominação alien sobre a Terra.É cinéfila e nas horas vagas, estudante de direito.