17
out
2014
Pipoca F.A.R. 8# – Crianças
Categorias: Pipoca F.A.R. • Postado por: Matheus Benjamin

Quem se lembra de Esqueceram de mim? Querida, Encolhi as Crianças? Porralokinhas? Batutinhas? Todos são filmes protagonizados por crianças ou possuem personagens crianças que são muito importantes para a trama. Como domingo passado fora o dia da criança resolvi trazer algumas dicas de filmes onde temos crianças incríveis como protagonistas, além delas serem em parte o grande conflito gerado no longa. Vejamos:

Pequena Miss Sunshine (Little Miss Sunshine. Jonathan Dayton e Valerie Faris, 2006)

pequena-miss2

Antes de falar da história do filme, preciso mencionar que o longa possui um elenco sensacional: nomes como Steve Carell, Toni Collette, Alan Arkin e Greg Kinnear figuram como os principais desta obra tão incrível. Inclusive Alan Arkin venceu o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante em 2007 pelo filme, além deste ter vencido também na categoria Melhor Roteiro Original. Não é a toa, Pequena Miss Sunshine é um filme espetacular. Conta a história de uma família cheia de divergências (muito cômicas por sinal) que também passa por dificuldades financeiras e repentinamente recebe a incrível notícia de que Olive (Abigail Breslin) fora classificada no concurso “A Pequena Miss Sunshine” na Califórnia. Com tal notícia todos desta família, desde o avô ao tio mais atípico, partem em uma kombi amarela rumo ao concurso a fim de prestigiar a pequena e desengonçada Olive e durante essa viagem o expectador é envolvido em algo muito cativante. Antes que eu me esqueça, a trilha sonora do filme também é tão rica quanto o restante da obra e dá um tom necessário para o desenvolvimento da mesma. O filme demorou 5 anos para conclusão por problemas financeiros e foi rodado em sequência.

Onde Vivem os Monstros (Where the Wild Things Are. Spike Jonze, 2009)

tumblr_m24273S6R11r5ltrko1_500

Um dos meus filmes favoritos da vida, com uma trilha sonora muito cativante já comentada pela Pop no primeiro post do Frequência Radioativa, Onde Vivem os Monstros é dirigido por Spike Jonze, diretor de Her que ganhou Oscar de Melhor Roteiro Original neste ano. Conta a história de Max, um garoto que ao levar uma super bronca da mãe resolve fugir de casa, pegando um barco e sumindo no mundo. Depois de navegar por quase um dia inteiro ele aporta em uma ilha onde é considerado um rei por contar isso às criaturas que vivem por lá. Criaturas gigantescas e quase assustadoras se não fossem também muito ternas e carismáticas. O filme é baseado no livro homônimo de Maurice Sendak e quase teve a participação de Howard Berger, vencedor do Oscar de melhor maquiagem por As Crônicas de Nárnia, que recusou-se participar do filme, pois o mesmo afirmou ser um grande fã do livro e não estava gostando do rumo que o filme levava.

A Invenção de Hugo Cabret (Hugo. Martin Scorsese, 2011)

hugocabret8

Martin Scorsese é um diretor grandioso e cheio de personalidade. Porém, Hugo Cabret foge do que ele costuma dirigir, como por exemplo os filmes de Máfia e criminosos (que eu gosto muito). O filme é cheio de referências a steampunk, uma coisa que me deixou ainda mais empolgado com tudo. Também temos diversas citações interessantes a Charles Dickens e um dos maiores autores do steampunk, Julio Verne. Além disso, pode-se dizer que é uma espécie de homenagem a Georges Méliès, um dos pioneiros do cinema com seu incrível filme Viagem à Lua de 1902. Admito que fiquei bastante emocionado com o filme e impressionado com as ótimas atuações de todo o elenco com destaque para a dupla Asa Butterfield e Chloë Grace Moretz. O filme é baseado no livro de Brian Selznick e ganhou Oscar de Melhores Efeitos Visuais, Melhor Fotografia, Direção de Arte, Mixagem de Som e Edição de Som, além de ser indicado a outras categorias incluindo Melhor Diretor, Melhor Trilha Sonora e Melhor Filme. Quando terminei de assistir quis muito abraçar o diretor e já o favoritei pra vida toda.

Moonrise Kingdom (Idem. Wes Anderson, 2012)

Mais um filme sensacional e reconhecível à distância de um dos diretores mais carismáticos e de um estilo inconfundível. Wes Anderson sempre nos agracia com boas histórias e com visuais deslumbrantes. Neste filme, conhecemos Sam, um escoteiro e Suzy, uma atriz (ambos tem por volta dos 10-12 anos). Em meados dos anos 60, os dois acabam se conhecendo e cansados das pressões familiares e pessoas que vivem ao seus redores, resolvem fugir juntos pelo mundo. Mas infelizmente, logo os adultos sentem a falta dos dois e a busca começa. O filme conta com as incríveis participações de Bruce Willis, interpretando o Capitão Sharp; Edward Norton, interpretando o chefe Ward e Bill Murray junto de Frances McDormand, que atuam como os pais de Suzy. Recomendo para todos aqueles que ainda não conhecem o estilo do diretor, para os que também conhecem mas ainda não conferiram e também pra quem quiser se divertir bastante.

Vale ressaltar que eu gosto bastante de O Menino do Pijama Listrado (Mark Herman, 2008) baseado no livro homônimo de John Boyne e que conta com a atuação de Asa Butterfield no papel de Bruno (o ator também integra o elenco de A Invenção de Hugo Cabret, citado acima).



Fã de Miyazaki, Aïnouz, Salles, Mendonça Filho, Von Trier, Thomas Anderson, Haneke e Bergman. Dirigi dois curta-metragens "A-MA-LA" e "Senhor Linux e sua Incrível Barba", ambos pela Pessoas na Van Preta Produções.