08
jun
2015
Crítica: “Tomorrowland – Um Lugar Onde Nada é Impossível”
Categorias: Críticas • Postado por: Victor Hugo Ribeiro Joaquim

Tomorrowland – Um Lugar Onde Nada é Impossível (Tomorrowland)

Brad Bird, 2015
Roteiro: Brad Bird; Damon Lindelof
Walt Disney Studios Motion Pictures

3.5

O nome tomorrowland pode ser associado a uma festa de música eletrônica que começou na Bélgica e está se expandindo pelo mundo, mas também é o nome de um dos parques da Disney o qual passa a ideia de como poderia ser o futuro na mente de uma criança.

Agora temos um filme com esse nome que utiliza a ideia do parque da Disney como conceito chave.

Tomorrowland é uma realidade paralela que busca a criação de novas tecnologias para salvar a Terra. Algumas pessoas são recrutadas para pode fazer parte dessa criação de tecnologias, porém, para ser recrutado, a pessoa deve ser inteligente e otimista,  sendo que o foco maior é no segundo atributo.  Casey Newton(Britt Robertson) recebeu um broche que permite que ela consiga enxergar a tomorrowland, contudo não é transportada. Para conseguir chegar nessa realidade paralela, ela vai contar com a ajuda de Athena (Raffey Cassidy) e de Frank Walker (George Clooney).

A ideia de supor o que acontecerá com o mundo é o foco de vários filmes atualmente, todos eles prevendo que um dia, o mundo irá acabar e todos os seres humanos irão morrer ou se mudar para outro planeta. Tomorrowland utiliza o mesmo conceito do fim do mundo, entretanto ele tenta resolver esse problema utilizando pessoas otimistas para poder criar ferramentas para contornar isso.

A história contada é muito interessante, porém ela deixa a desejar pelo tom educacional e infantil que a trama leva. Em alguns momentos, parece que o filme tenta educar o público, mostrando como seria melhor se as pessoas fossem otimistas e coloca o Frank como um pessimista rabugento. Por falar em personagens, esse é um ponto interessante do filme, pois eles exageraram ao máximo os atributos principais de cada personagem, por exemplo, a Casey é a otimista e ela fica o tempo inteiro se perguntando porque não se pode resolver um determinado problema e isso em certo ponto do filme acaba deixando o filme cansativo, mas ao mesmo tempo, a Casey é uma personagem esforçada e mostra o lado forte da mulher de ir atrás do que ela quer. Isso é o que acontece com todos os outros personagens, tem um certo exagero em sua construção, mas conseguem passar um pouco de carisma.

O cenário do filme é surreal, podendo considerar como um dos pontos positivos do filme. A Tomorrowland é totalmente futurista, com vários prédios claros e brilhantes em formatos futuristas, com vários carros e trens voadores passando por todo lado. Acredito que essa seja a cidade do sonho da maioria das crianças, quando pensam em futuro.

Apesar do filme ser meio infantil, ele tem uma discussão muito importante em relação a maneira de como a humanidade se porta e como isso pode ser prejudicial para o futuro. Não é um filme perfeito, mas é um filme bom que se você comprar a ideia dele, poderá sair bem feliz do cinema e otimista em relação ao futuro da humanidade.



Gosto de animês, mangás, jogos, séries e filmes. Sou fã dos filmes do Nolan, do Tom Hooper e do David O. Russell. Gosto de qualquer estilo de filme e gosto muito de ver os filmes dos atores e diretores que eu gosto.