24
set
2015
Melhores musicais na Netflix!
Categorias: Listas Radioativas • Postado por: Heloisa Keiko

A Netflix possui um enorme acervo de filmes e séries, que vão de lançamentos a clássicos do século XX. No entanto, uma das dificuldades que seus usuários encontram é a de filtrar o vasto conteúdo do programa. Por isso, o Pipoca Radioativa organizou uma lista com os melhores musicais – um gênero não muito comum e, muitas vezes, subestimado – que podem ser assistidos na Netflix. Se você acredita que musicais são cansativos e monótonos, dê uma chance a esses filmes. Eles podem mudar a sua opinião sobre o gênero!

O Mágico de Oz – 1939

Conhecido como um dos maiores clássicos do século XX, esse filme revolucionou o cinema na época em que foi lançado. Judy Garland, que interpreta Dorothy, eternizou-se ao interpretar Over the Rainbow, canção original que levou o Oscar. Mesmo 76 anos desde a estreia do longa, O Mágico de Oz ainda encanta pessoas de todas as idades.

Les Misérables – 2012

Baseado na obra de Victor Hugo, Les Misérables destoa-se dos musicais mais conhecidos, por tratar de temas como pobreza e guerras. Uma verdadeira crítica à sociedade, o filme é carregado de músicas que emocionam e refletem fielmente a realidade da França no século XIX.

Apenas uma Vez – 2006

O filme de John Carney possui um estilo que se diferencia de qualquer gênero cinematográfico já existente. As escolhas do diretor são inovadoras, e agradam a todos os tipos de espectadores. As canções, que foram compostas pelos atores que protagonizam o longa, transmitem diversas emoções a quem assiste, e nos fazem querer ouvi-las a todo momento!

Moulin Rouge – 2001

Protagonizado por Nicole Kidman e Ewan McGregor, o filme retrata o amor proibido de um poeta boêmio e uma dançarina do famoso Moulin Rouge. Com músicas já conhecidas, mas interpretadas diferentemente de suas versões originais – com muito mais emoção e força – o longa foi indicado a diversos prêmios, além de agradar, também, ao grande público.

Chicago – 2002

Não é tão comum ver musicais serem indicados ao Oscar atualmente, e muito menos conquistando a estatueta – mas Chicago conseguiu essa façanha. O filme, que mostrou o potencial das atrizes Renée Zellweger e Catherine Zeta-Jones, conta a história de mulheres que cometeram crimes passionais e sua convivência na cadeia, lutando para que suas sentenças sejam brandas. Com cenas que remetem ao teatro e canções instigantes, o longa possui todas as características que justificam o sucesso e aclamação da crítica que recebeu.

Hair – 1979

Ambientado nos EUA, durante a Guerra do Vietnã, Hair mescla músicas que refletem o estilo hippie, muito comum na época, com a realidade histórica do momento. Com um enredo intenso e comovente, o filme dos anos 70 mostra uma visão diferente da guerra, ao som de melodias envolventes e bem executadas.

Encantada – 2007

Encantada, um filme que mescla animação com live-action, possui trilha sonora e letra composta pelo lendário Alan Menken. Estrelado por Amy Adams, o filme possui canções, coreografias e figurinos que conquistam qualquer público e envolvem a todos que assistem ao longa. Com 3 músicas indicadas ao Oscar, Encantada é um filme que, como o título já diz, encanta a todos que o assistem.

Mary Poppins – 1964

O filme que consagrou Julie Andrews como atriz e cantora é, também, um dos principais ícones cinematográficos da década de 60. Repleto de recursos imagéticos que inovaram em diversos aspectos, o filme conta a história de uma babá mágica que transforma uma família em que os pais não têm tempo para seus filhos. Por mais que todo mundo tenha se desafiado a pronunciar “supercalifragilisticexpialidocious” quando criança, Mary Poppins é um clássico que vale a pena rever.

Todos Dizem Eu te Amo – 1996

O musical conta histórias de uma família nova-iorquina, suas paixões e desilusões amorosas. Estrelando Edward Norton, Julia Roberts e Drew Barrymore, o filme foi alvo de diversas críticas positivas, por sua inovação e peculiaridade. Woody Allen, mais uma vez, surpreende com mais uma comédia romântica que possui seu estilo clássico e único de dirigir. Além de tudo, o filme ainda conta com músicas e coreografias envolventes, que dão ainda mais identidade ao longa.



Minhas preferências vão de Senhor dos Anéis ao Diário de Bridget Jones, de dramas a musicais, de Woody Allen a John Hughes. Gosto de qualquer filme que se passe em Nova York ou termine em um final inesperado - de preferência feliz. Estudo Jornalismo e acredito que, neste site, poderei unir as duas coisas que mais adoro: a escrita e o cinema.