22
nov
2015
Crítica: “Jogos Vorazes: A Esperança – O Final”
Categorias: Críticas • Postado por: Convidado Especial

Jogos Vorazes: A Esperança – O Final (The Hunger Games: Mockingjay – Part 2)

Francis Lawrence, 2015
Roteiro: Peter Craig, Danny Strong
Paris Filmes

4

O último filme da franquia Jogos Vorazes: A Esperança – O Final, sem dúvidas foi um dos mais aguardados do ano. Baseado na trilogia de livros “Jogos Vorazes”, escrita por Suzanne Collins, os filmes levaram a história ao sucesso, principalmente entre jovens e adolescentes. O enredo, essencialmente, conta a história de Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) e sua luta contra um governo totalitário em um futuro distópico. A narrativa apresentada em A Esperança – O Final, manteve o ritmo e as qualidades dos filmes anteriores.

Assim como as grandes franquias antecedentes (Harry Potter e a Saga Crepúsculo), o último filme da trilogia foi divido em dois. A Esperança – Parte 1 e A Esperança – O Final. A maior parte do filme se passa dentro Capital. Onde o Presidente Snow (Donald Sutherland), pediu que todos os moradores ficassem dentro de suas casas pois os rebeldes iriam atacar. Então, com ajuda dos idealizadores dos Jogos Vorazes, as ruas da Capital foram transformadas em uma arena. É enfrentando os perigos destes “novos jogos” e lidando com as consequências de uma guerra, que chega ao fim a trilogia tão aclamada.

As cenas de ação foram mais intensas e emocionantes em relação ao último filme, com destaque para o momento em que os personagens entram no subterrâneo. O ritmo da trama também foi muito bem explorado, tendo uma alternância boa entre momentos de tensão, ação, mistério e drama. Entretanto, devido a divisão do filme em duas partes, algumas cenas se tornam um pouco mais extensas do que deveriam.

Um ponto que deveria ter sido um pouco mais explorado, mas os poucos momentos foram muito bem apresentados, foi a loucura de Peeta. Após ser torturado o personagem fica desorientado, sem saber diferenciar o real do imaginário. Josh Hutcherson não deixou a desejar nada em sua performance. Como consequência, Peeta tem alguns ataques de loucura que, infelizmente parecem se curar um pouco rápido demais.

Como sempre, Jennifer Lawrence está incrível. Porém, em algumas cenas na metade do filme, a personagem parece não sentir emoção alguma. Mas tudo é compensando quando a guerra acaba e ela está sozinha. Há a explosão desses sentimentos que estavam escondidos devido à gravidade da situação e a necessidade de continuar lutando. Outro destaque é Julianne Moore como Presidente Coin.

Um ponto negativo foi logo após a morte de um personagem importante, quando o clima de ação acaba repentinamente. Deveria haver um momento de transição maior, como foi feito no segundo filme “Em Chamas”, quando Katniss explode o campo de força e aos poucos, o aerodeslizador a recupera da arena.

Para os fãs dos livros, o filme não apresentou grandes defeitos. Se manteve fiel às páginas escritas em praticamente toda a trama, com direito a diálogos iguais e cenas do triângulo amoroso que poderiam ter sido ignoradas. A última cena do filme também deixou de lado alguns aspectos emocionais dos personagens principais que o livro descrevia muito bem. Dando a impressão de que tudo “acabou” bem demais. Os leitores sabem que não é o caso.

Porém, nenhum ponto negativo se compara à emoção de assistir o fim de uma história que envolveu tantos fãs durante 4 anos. Sem contar as últimas cenas em vida de Philip Seymour Hoffman como Plutarch Heavensbee. Jogos Vorazes: A Esperança – O Final, te envolve do início ao fim, as quase duas horas e meia de filme passam quase despercebidas.

Durante 4 anos, Jogos Vorazes nos trouxe várias reflexões: Diferenças sociais, o poder da mídia, sociedade do espetáculo, a importância de se lutar por um mundo melhor. Mas em “A Esperança – O Final” pode-se acrescentar uma reflexão um pouco mais pessoal: o que nos motiva quando tudo parece desmoronar?

Autora da Crítica: Maria Vitória Ticiani, ex-colaboradora do Pipoca Radioativa.



Olá, sou um convidado especial para posts igualmente especiais no Pipoca Radioativa!