18
dez
2015
Motivos para Assistir Star Wars: O Despertar da Força!
Categorias: Especiais • Postado por: Heloisa Keiko

Pode não haver consenso entre fãs do mundo nerd sobre qual é a melhor saga de filmes já lançada – mas, é fato, Star Wars está entre as mais amadas. Lançada há 38 anos, a série transpassa gerações e encanta pessoas de todas as idades. Neste ano, os episódios de I a VI ganham uma continuação: O Despertar da Força. Fiel à obra original, o filme de J. J. Abrams não deixa nada a desejar, prometendo agradar aos fãs antigos e, também, aos novos.

O filme, que se passa após O Retorno de Jedi, retrata a República sendo ameaçada pela Primeira Ordem, um exército que deseja instaurar um Império semelhante ao que Darth Vader havia criado. A Resistência, liderada pela General Leia (Carrie Fischer), pretende usar suas forças para impedir que isso aconteça.

Ao mesmo tempo em que remete a elementos dos episódios passados, como a reaparição dos icônicos protagonistas da trilogia original, é notável a intenção de modernizar alguns aspectos no filme. Os personagens principais, Rey (Daisy Ridley), e Finn (John Boyega), fogem do perfil tradicional dos heróis da saga – uma mulher e um negro, respectivamente.

Como já era de se esperar, os efeitos visuais do filme são um espetáculo à parte. Repleto de cenas de ação, O Despertar da Força consegue exibir suas lutas e explosões e, ao mesmo tempo, desenvolver um enredo coerente e aprofundado. A computação gráfica foi executada com maestria por J. J. Abrams, que fez referências aos efeitos usados em 1977 por George Lucas, sem deixar de usufruir das tecnologias atuais.

Em se tratando de Star Wars, é impossível não citar a clássica trilha sonora composta por John Williams. Desde o início do filme, sonorizado com o clássico tema musical da saga, até os créditos finais, as canções de fundo são perfeitas para ambientar as cenas e dar vida aos personagens. Agora, com novos temas, como o de Kylo Ren (Adam Driver), que lembra a icônica Marcha Imperial de Darth Vader, John Williams acerta mais uma vez em suas escolhas.

Para o alívio dos fãs, O Despertar da Força não decepciona em aspecto algum – pelo contrário. Emocionante do início ao fim, o primeiro filme da nova trilogia dá chance àqueles que, como eu, não tiveram a oportunidade de assistir a Star Wars no cinema. Com cenas que nos levam do choro ao riso, repletas de efeitos visuais impecáveis, atuações dignas da saga e memórias extremamente nostálgicas, o Episódio VII consegue tornar esse universo ainda mais incrível. O único problema, talvez, seja ter de esperar até 2017 para sentir, novamente, a felicidade de assistir a mais um filme inédito de Star Wars.



Minhas preferências vão de Senhor dos Anéis ao Diário de Bridget Jones, de dramas a musicais, de Woody Allen a John Hughes. Gosto de qualquer filme que se passe em Nova York ou termine em um final inesperado – de preferência feliz. Estudo Jornalismo e acredito que, neste site, poderei unir as duas coisas que mais adoro: a escrita e o cinema.