14
jan
2016
Aos 69 anos, morre Alan Rickman, intérprete de Severo Snape na saga “Harry Potter”!
Categorias: Artigos • Postado por: Maisa Carvalho

Hoje o mundo acordou com uma notícia terrível, morreu Alan Rickman, de câncer aos 69 anos. Na maioria dos portais de notícias online e noticiários da televisão as manchetes logo diziam “Morre Alan Rickman, o professor Snape de Harry Potter”. Rickman começou sua carreira no final da década de 1970, no teatro, passou pela televisão e dez anos depois do início de sua carreira, em 1988, estreou no cinema no filme Duro de Matar – Assalto ao Arranha-Céus. Mas foi no ano de 2001 que o ator foi consagrado com o papel que o daria fama mundial e um amor imenso de muitos fãs da saga Harry Potter.

Muitos de seus trabalhos são lembrados, como por exemplo, os filmes Simplesmente Amor, o próprio Duro de Matar, Razão e Sensibilidade, Perfume – A História de um Assassino, Alice no País das Maravilhas (como a voz da lagarta), Sweeney Todd – O Barbeiro Demoníaco da rua Fleet, entre outros. Mas é inegável que a grande fama de Rickman se fez com a personagem Severo Snape, o eterno vilão/herói que conquistou muita gente com sua incrível atuação, especialmente em Harry Potter e As Relíquias da Morte: Parte II.

Além de um ótimo ator, em 2014, o britânico também se aventurou na direção com o longa Um Pouco de Caos, estrelando Kate Winslet. Além de dirigir, ele também colaborou no roteiro e atuou.

Assim como o cinema, muito presente em sua vida desde seu primeiro filme, ele também passou bastante tempo no teatro. Rickman foi um ator versátil, com um belo currículo e muitos, muitos fãs que vão levar seus personagens consigo por muito tempo.

Article Lead - narrow65815265138cafimage.related.articleLeadNarrow.353x0.136ndt.png1423434063847.jpg-300x0

Ao eterno professor Snape, fica uma gratidão imensa por dar vida a uma personagem tão difícil e complicada, daquele tipo que todos odeiam, até que chega o momento em que amam. Para uma geração de pessoas que foram crianças no início dos anos 2000, ele sempre será um herói. Descanse em paz, Alan Rickman, os potterheads vão lembrar de você. ALWAYS.



Não gosto da palavra "cinéfila", então digo que apenas que amo assistir a filmes e não tenho essa de não gostar de um gênero, para mim, se o filme for bom, pouco importa onde ele se encaixa. As histórias têm esse poder de despertar um encantamento em mim, por isso eu sempre vou atrás de mais e é por isso que eu vim escrever sobre elas aqui.