06
jul
2016
Crítica: “Truque de Mestre: O Segundo Ato”
Categorias: Críticas • Postado por: João Vitor Moreno
tt

Truque de Mestre: O Segundo Ato (Now You See Me 2)

Jon M. Chu, 2016
Roteiro: Brian Tyler
Paris Filmes

2.5

Ambientado alguns anos após os acontecimentos do primeiro filme, Truque de Mestre 2 segue o famoso e agora foragido grupo de mágicos “Os Cavaleiros” quando estes se veem obrigados a participar de um arriscado roubo para poderem limpar seus nomes e voltar para um vida normal.

Os problemas do filme já começam no roteiro. Com um número altíssimo de personagens importantes e várias reviravoltas seguidas que deixam o ritmo artificial e cansativo, a trama ainda peca muito ao depender de eventos completamente absurdos para funcionar (principalmente em relação aos números de hipnose).

O diretor Jon M. Chu também não se mostra muito a frente. Baseando o humor do filme em manter a trilha sonora constante apenas para parar quando algum personagem tiver que dizer alguma coisa “engraçadinha”, o diretor ainda se atrapalha ao exagerar na câmera tremida e planos fechados nas sequências de ação, deixando o espectador constantemente confuso em relação ao que está acontecendo (ainda que aqui a trilha sonora grandiosa e enérgica funcione).

Já os efeitos visuais acabam sendo irregulares, pois quando bem realizados estão a serviço de uma lógica absurda (como na cena que envolve a manipulação de uma carta), e quando são funcionais beiram o artificial (o green screen usado para trazer um ator duplicado na tela é gritante).

O elenco, no entanto, não decepciona. Lizzy Caplan surpreende pelo bom humor, além de ser responsável por vários efeitos inesperados durante a trama. Daniel Radcliffe por sua vez consegue ser divertido ao mesmo tempo em que convence como uma ameaça real para os personagens principais (apesar dos clichês de roteiro).

E os atores que já estavam presentes no filme anterior também se saem muito bem. Woody Harrelson é provavelmente o que mais se diverte com seu personagem, enquanto os veteranos Morgan Freeman e Michael Kane fazem valer a experiência e conseguem ser marcantes mesmo com participações breves.

Tentando ainda incluir uma rasa discussão temática sobre “Ilusionismo vs Ciência” que não leva a lugar nenhum, Truque de Mestre 2 tem sua dose de diversão e alguns ótimos momentos, mas peca por depender demais de absurdos e acabar parecendo bem mais tolo do que realmente é.



Gosto de todos os gêneros cinematográficos e estou sempre aberto para conhecer novos diretores. Dentre os meus preferidos estão Woody Allen, Kubrick, Hitchcock e David Fincher. Sou estudante de Música, e não consigo passar um dia sem assistir um filme.