10
jul
2016
Vem aí a Volta ao Mundo em 80 Filmes!
Categorias: Volta ao Mundo em 80 Filmes • Postado por: Marcelo Silva

Nós do Pipoca Radioativa somos apaixonados por viajar! Uma vez com o pé na estrada, somos levados a conhecer novas culturas, pessoas, lugares e realidades que podem mudar totalmente nossa visão de mundo – Victor Hugo não poderia estar mais certo ao dizer que “Viajar é nascer e morrer a todo instante”.

Enquanto não temos dinheiro para dar uma volta ao mundo (afinal, viajar não é uma coisa tão barata assim), vamos nos contentar em fazer isso por meio do cinema. Inspirados no romance Volta ao Mundo em 80 Dias, de Júlio Verne, apresentamos a Volta ao Mundo em 80 Filmes!

Volta ao Mundo em 80 Filmes

Escolhemos 80 filmes de 80 países diferentes para a nossa maratona. A lista tem de tudo: de obras clássicas a lançamentos, de animação a documentário, de diretores consagrados a novatos. Tivemos também o cuidado de incluir produções dirigidas e protagonizadas por mulheres. Como já temos bastante acesso aos filmes dos Estados Unidos, da Inglaterra e do Brasil, optamos por deixar esses países de fora da maratona.

Volta ao Mundo em 80 Filmes vai funcionar da seguinte maneira: a partir de hoje (10/07), vamos assistir a um filme por semana. Todo domingo, um dos nossos colaboradores vai postar a resenha do longa da semana (começamos no próximo domingo, dia 17).

Você está convidado para participar dessa viagem e ir compartilhando suas experiências conosco – se tudo der certo, até março de 2018 nós teremos dado uma volta ao mundo!

Confira abaixo os filmes selecionados (vamos seguir a ordem alfabética, começando pelo Afeganistão e terminando no Vietnã). Fizemos também uma lista no Filmow – clique AQUI para ter acesso.

Afeganistão: A Pedra de Paciência (Atiq Rahimi, 2014)

África do Sul: A Vida, Acima de Tudo (Oliver Schmitz, 2010)

Alemanha: Queda Livre  (Stephan Lacant, 2013)

Angola: Oxalá Cresçam Pitangas – Histórias de Luanda  (Kiluanje Liberdade & Ondjaki, 2007)

Arábia Saudita: O Sonho de Wadjda  (Haifaa Al Mansour, 2012)

Argélia: Mascarades  (Lyès Salem, 2008)

Argentina: A História Oficial  (Luiz Puenzo, 1985)

Austrália: Candy (Neil Armfield, 2006)

Áustria: O Sétimo Continente  (Michael Haneke, 1989)

Bélgica: O Filho  (Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne, 2002)

Bolívia: Cocalero  (Alejandro Landes, 2007)

Bósnia: Terra de Ninguém  (Danis Tanovic, 2001)

Bulgária: O Mundo é Grande e a Salvação Espreita ao Virar a Esquina  (Stephan Komandarev, 2008)

Burkina Faso:   A Noite da Verdade (Fanta Régina Nacro, 2004)

Chade:  Um Homem Que Grita  (Mahamat-Saleh Haroun, 2010)

Canadá: Redemoinho (Denis Villeneuve, 2000)

Chile: Jovem Aloucada (Marialy Rivas, 2012)

China: A Tocha de Zen (King Hu, 1975)

Colômbia: Cão Come Cão (Carlos Moreno, 2008)

Coreia do Sul: Oldboy (Park Chan-wook , 2003)

Costa do Marfim: Em Nome de Cristo (Roger Gnoan M’Bala, 1993)

Cuba: Morango e Chocolate (Tomás Gutiérrez Alea e Juan Carlos Tabío, 1994)

Dinamarca: Querida Wendy (Thomas Vinterberg, 2005)

Egito: Cairo 678 (Mohamed Diab, 2011)

Equador: A Que Distância  (Tania Hermida, 2006)

Escócia: O Lixo e o Sonho (Lynne Ramsay, 1999)

Representando a Espanha, o longa Fale Com Ela, de Pedro Almodóvar.

Eslováquia: O Jardim (Martin Sulík, 1995)

Espanha: Fale com Ela (Pedro Almodóvar, 2002)

Estônia: Tangerinas (Zaza Urushadze, 2013)

Etiópia: Teza (Haile Gerima, 2008)

Filipinas: Norte, o Fim da História (Lav Diaz, 2013)

Finlândia: Gelo Negro (Petri Kotwica, 2007)

França: Um Homem Que Dorme  (Bernard Queysanne, 1974)

Geórgia: A Outra Margem (George Ovashvili, 2009)

Grécia: Alpes (Yorgos Lanthimos, 2011)

Guatemala: Puro Mula (Enrique Pérez Him, 2011)

Holanda: Os Últimos Dias de Emma Blank (Alex van Warmerdam, 2009)

Hong Kong: Dias Selvagens (Kar Wai Wong, 1990)

Hungria: As Harmonias de Werckmeister (Béla Tarr, 2000)

Índia: A Canção da Estrada (Satyajit Ray, 1955)

A Canção da Estrada, do cineasta Satyajit Ray, é o representante da Índia.

Irã: O Balão Branco (Jafar Panahi, 1995)

Irlanda: Loucos pela Fama (Alan Parker, 1991)

Islândia: 101 Reykjavik (Baltasar Kormákur, 2000)

Israel: Preenchendo o Vazio (Rama Burshtein, 2012)

Itália: Mia Madre (Nanni Moretti, 2015)

Japão: Tokyo Godfathers (Satoshi Kon e Shôgo Furuya, 2003)

Jordânia: O Lobo do Deserto (Naji Abu Nowar, 2014)

Líbano: Caramelo (Nadine Labaki, 2007)

Lituânia: Aurora (Kristina Buozyte, 2012)

Madagascar: Rumor (Raymond Rajaonarivelo, 1988)

Mali: A Vida Sobre a Terra (Abderrahmane Sissako, 1998)

Marrocos: Os Cavalos de Deus (Nabil Ayouch, 2012)

Mauritânia: Timbuktu (Abderrahmane Sissako, 2014)

México: Batalha no Céu (Carlos Reygadas, 2005)

Moçambique: A Virgem Margarida (Licínio Azevedo, 2012)

Mongólia: A Caverna do Cachorro Amarelo (Byambasuren Davaa, 2005)

Nicarágua: La Yuma (Florence Jaugey, 2009)

Noruega: In Natura (Ole Giæver e Marte Vold, 2014)

Nova Zelândia: Encantadora de Baleias (Niki Caro, 2002)

Palestina: Omar (Hany Abu-Assad, 2013)

Omar é o representante da Palestina.

Omar é o longa representante da Palestina.

Paraguai: 7 Caixas (Juan Carlos Maneglia e Tana Schémbori, 2012)

Peru: A Teta Assustada (Claudia Llosa, 2009)

Polônia: Em Nome de (Malgorzata Szumowska, 2013)

Portugal: Os Gatos Não Têm Vertigens (Antônio Pedro-Vasconcelos, 2014)

República Dominicana: Dólares de Areia (Laura Amelia Guzmán e Israel Cárdenas, 2014)

República Tcheca: Fair Play (Andrea Sedlácková, 2014)

Romênia: 4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias (Cristian Mungiu, 2007)

Rússia: O Desterro (Andrei Zvyagintsev, 2007)

Senegal: A Viagem da Hiena (Djibril Diop Mambéty, 1973)

Sérvia: A Dívida de Baden-Baden (Slobodan Z. Jovanovic, 2000)

Suécia: Juventude (Ingmar Bergman, 1951)

Suíça: A Salamandra (Alain Tanner, 1971)

Tailândia: Cemitério do Esplendor (Apichatpong Weerasethakul, 2015)

Taiwan: O Rio (Ming-Liang, 1997)

Tunísia: Os Silêncios do Palácio (Moufida Tlatli, 1994)

Turquia: Sono de Inverno (Nuri Bilge Ceylan, 2015)

Ucrânia: A Gangue (Miroslav Slaboshpitsky, 2014)

Uruguai: O Banheiro do Papa (César Charlone e Enrique Fernández, 2007)

Venezuela: A Casa do Fim dos Tempos (Alejandro Hidalgo, 2013)

Vietnã: O Cheiro do Papaya Verde (Anh Hung Tran, 1993)

Então, anote aí: nossas críticas desta maratona irão sair sempre aos domingos aqui no site. Esperamos poder preparar sorteios e concursos durante a maratona para maior interação com nossos leitores. Não se esqueça de utilizar a #VoltaaoMundoem80Filmes em suas redes sociais para acompanharmos suas impressões sobre os filmes selecionados. Vamos conversar também por meio dos comentários.

Esperamos que seja uma maratona de sucesso e que com ela possamos conhecer diversas culturas diferentes sem sair de casa!



Quem sou eu? Uma mistura de Walter Mitty com Forrest Gump. Um cara que tem vontade de fazer tudo o que Mark Renton fez em Trainspotting. Um cinéfilo que tem a certeza de que a vida não seria a mesma se não existisse o cinema. Diretor preferido? Assim fica difícil: amo de Zé do Caixão a Stanley Kubrick!