02
abr
2017
Death Note, de mangá a filme da Netflix!
Categorias: Especiais • Postado por: Convidado Especial

A Netflix anunciou que irá produzir um longa live-action do mangá (revista em quadrinhos feita no estilo japonês) Death Note. O primeiro trailer, inclusive, já foi divulgado. Mas, antes de especular sobre o filme, é preciso saber do que se trata Death Note.

Contextualizando, Death Note é um mangá criado por Tsugumi Ohba e Takeshi Obata, que foi publicado pela revista semanal japonesa Shonen Jump entre os anos de 2003 e 2006. Posteriormente, a obra teve uma versão em anime (animação produzida por estúdios japoneses), que foi transmitida entre 2006 e 2007 e que possui um total de 37 episódios.

A história se passa no Japão e é focada no estudante de ensino médio Light Yagami, que acaba encontrando um caderno sobrenatural chamado Death Note. O caderno na verdade pertence a um shinigami (espécie de anjo da morte), e tem o poder de matar a pessoa cujo nome é escrito nele. O portador do caderno ainda pode especificar a causa da morte e os detalhes de como ela deve acontecer (mas na maioria dos casos, a morte é por ataque cardíaco).

Light aproveita-se do poder do caderno para assassinar todos os principais criminosos do planeta. Mas ele não para por aí, e segue assassinando também as pessoas que se colocam no seu caminho. Seus ideais o levam a acreditar que ele tem o dever de construir um novo mundo, livre de crimes e habitado apenas pelas pessoas que ele julgar boas, e ele então seria “o deus do novo mundo”.

Contudo, uma quantidade absurda de mortes como essa (quase todas causadas por ataque cardíaco) não passaria despercebida pelas autoridades. O FBI interessa-se pelo caso, assim como um famoso detetive chamado L (cujo nome verdadeiro não é revelado).

Depois de provar a sua capacidade (deduzindo e provando que as mortes não eram coincidência e estavam sendo causadas por um serial killer), L torna-se o responsável pelo caso e passa a liderar a polícia e ter a ajuda do FBI para descobrir e levar à justiça o assassino em série (apelidado de Kira pela população) responsável por essas mortes.

A partir de então, a obra foca-se tanto em Light quanto em L. Duas mentes brilhantes: o assassino em série que tem o poder de matar qualquer pessoa apenas por escrever seu nome no Death Note e o melhor detetive do mundo, que dedica todas as suas forças para levar Kira à justiça.

.Assim como em toda adaptação, o longa terá algumas mudanças em relação à versão animada – mudanças necessárias para transformar um anime de aproximadamente 13 horas de duração em um único filme.

Contudo, logo de cara, pôde-se perceber algumas mudanças drásticas na ambientação da obra e até no nome dos personagens. A história que se passava no Japão, agora se passará nos Estados Unidos, e o protagonista Light Yagami agora se chamará Light Turner (e será vivido por Nat Wolff, de Cidades de Papel). Misa Amane, outra importante personagem do anime, também terá seu nome mudado, para Mia Sutton (Margaret Qualley, de Dois Caras Legais).

O único trailer lançado até o momento não revela muito sobre o filme, apenas foca-se em Light e mostra o protagonista adquirindo o caderno, descobrindo seus poderes e posteriormente se envolvendo numa fuga da polícia e também num acidente numa roda gigante. Os demais protagonistas da série sequer foram mostrados com clareza. A direção é de Adam Wingard (de Você é o Próximo). Além de Nat Wolff e Margaret Qualley, estão no elenco Lakeith Stanfield (Temporário 12), Willem Dafoe (Homem-Aranha), Shea Whigam (O Lobo de Wall Street), entre outros. O lançamento na Netflix está marcado para dia 25 de agosto.

Para os fãs do mangá/anime, será necessário lidar com as polêmicas mudanças que serão feitas na obra para que a adaptação cinematográfica seja possível. E para aqueles que ainda não conhecem Death Note, é uma oportunidade excelente de conhecer a história de um dos melhores mangás/animes de todos os tempos.

Autor do texto: Matheus Zampieri.



Olá, sou um convidado especial para posts igualmente especiais no Pipoca Radioativa!