07
abr
2017
Grandes Cenas do Cinema #3: “Central do Brasil”
Categorias: Grandes Cenas do Cinema • Postado por: Marcelo Silva

*Este post contém spoilers sobre o filme Central do Brasil

Depois de O Grande Ditador e Dançando no Escuro, agora chegou a hora de um clássico nacional aparecer na coluna Grandes Cenas do CinemaCentral do Brasil, filme dirigido por Walter Salles e lançado em 1998.

Na história, Fernanda Montenegro vive Dora, uma professora aposentada que trabalha na estação Central do Brasil escrevendo cartas para pessoas analfabetas. No entanto, ela nunca as envia para os destinatários, fazendo isso só pelo dinheiro. Uma das suas clientes é Ana (Sôia Lira), que pede a ela para que escreva uma carta para o pai do seu filho, Josué (o excelente Vinícius de Oliveira), de apenas nove anos. Na saída da estação, a mulher é atropelada e o garoto fica órfão.

Mesmo a contragosto, Dora toma conta de Josué e o leva para conhecer o pai no sertão nordestino. Essa viagem pelo interior do Brasil acaba conectando duas pessoas tão distintas e se transformando em uma jornada de descoberta existencial – com direito até mesmo a uma paixão perdida pela estrada.

Os prêmios conquistados no mundo inteiro não mentem sobre a qualidade de Central do Brasil: a obra ganhou o Globo de Ouro e o BAFTA de Melhor Filme Estrangeiro, o Leão de Ouro no Festival de Berlim e ainda foi indicado a dois Oscars (na categoria de Atriz e Filme Estrangeiro).

Com uma direção bastante segura de Walter Salles, o drama no melhor estilo road movie apresenta uma sensibilidade poucas vezes vista antes na telona. E a cena escolhida para a coluna é justamente aquela que dificilmente vai sair da memória do espectador: o momento em que Dora e Josué se separam.


A voz sempre marcante de Fernanda Montenegro se soma à belíssima trilha sonora de Antonio Pinto e Jaques Morelenbaum na última cena. Dora, uma pessoa carrancuda e impaciente que, pouco a pouco, foi criando um laço afetivo com Josué – uma relação quase maternal, eu diria. Salles alterna o momento em que a ouvimos ler a carta com a cena do garoto à sua procura. “No dia que você quiser lembrar de mim, dá uma olhada no retratinho que a gente tirou junto”, diz um trecho. Em seguida, vemos Dora e Josué, quase que simultaneamente, olharem a foto. Fica difícil não se emocionar.

Aproveite para ler também:

Grandes Cenas do Cinema #1: “O Grande Ditador”

Grandes Cenas do Cinema #2: “Dançando no Escuro”

Volta ao Mundo em 80 Filmes!

Sátira (Ou a Esperada Virtude da Ironia)



Quem sou eu? Uma mistura de Walter Mitty com Forrest Gump. Um cara que tem vontade de fazer tudo o que Mark Renton fez em Trainspotting. Um cinéfilo que tem a certeza de que a vida não seria a mesma se não existisse o cinema. Diretor preferido? Assim fica difícil: amo de Zé do Caixão a Stanley Kubrick!