15
abr
2017
Livro e Filme: Scott Pilgrim Contra o Mundo!
Categorias: Livro e Filme • Postado por: Matheus Benjamin

Scott Pilgrim é incrível, seja a HQ de Bryan Lee O’Malley ou a adaptação cinematográfica de Edgar Wright, a história é bastante divertida e o aspecto de vídeo game que a trama carrega permanece nas duas mídias. A edição original canadense tem seis volumes, mas a Quadrinhos na Cia optou por compilar os seis em apenas três aqui no Brasil.

Livros: Scott Pilgrim Contra o Mundo (3 volumes), de Bryan Lee O’Malley. Companhia das Letras. 368 páginas/volume. Skoob.

Filme: Scott Pilgrim Contra o Mundo, de Edgar Wright (2010). Roteiro de Edgar Wright e Michael Bacall, Universal Studios.

O Livro

No primeiro volume, somos apresentados aos personagens principais (algo que também se repete indiretamente nos outros volumes). O canadense Scott Pilgrim é um rapaz de uns vinte e três anos que não tem emprego e vive com o amigo homossexual Wallace, que pega garotinhos em cada cena que surge. Aliás, Wallace é um dos personagens mais carismáticos dessa história e seus devaneios preguiçosos junto a Scott dão um aspecto mais cômico à narrativa. Scott está namorando atualmente uma colegial de 17 anos chamada Knives Chau, uma chinesa que é a única fã de verdade da Sex Bob-Omb, a banda que Scott tem com seus amigos: Stephen Stils, que namora com uma garota chamada Julie e que sempre dá festas em sua residência e Kim Pane, que já foi namorada de Scott nos tempos da escola. Além disso, o pequeno Neil também acompanha os ensaios da banda (que pelo visto é muito ruim – ah se HQs tivessem som). O tempo vai passando e Scott avista uma garota com cabelo legal chamada Ramona Flowers, uma americana muito atraente que logo desperta um interesse latente nele.

Durante uma festa muito chata (estranha e com gente esquisita), Scott acaba conhecendo um pouco mais sobre Ramona perguntando desesperadamente pra todo mundo, até que descobre que ela trabalha entregando pacotes para a Amazon. Enlouquecido com a informação, logo encomenda algo pra que possa se encontrar com Ramona, que acaba aceitando o convite de sair com Pilgrim sem saber que ele namora com a chinesinha fanática pela banda (e por Scott). As coisas avançam e ele termina com Knives que mesmo assim fica ainda mais obsessiva por ele. Além disso, Scott também descobre que para viver tranquilamente com Ramona ele precisa derrotar os sete ex-namorados do mau que ela já teve e é aí que entram as influências a vídeo games na história. Apesar de parecer um fracote ele tem uma grande habilidade com lutas corporais e consegue derrotar alguns ex-namorados do mau de Ramona, até que no volume seguinte conhecemos Envy Adams, uma ex-namorada do mau do Scott que está no auge da carreira com sua banda super famosa.

Prosseguimos com a história e Scott quer arrumar um trabalho agora que Wallace quer um pouco mais de privacidade, se é que entendem. Scott acaba indo trabalhar no mesmo restaurante que Stephen e vai morar com Ramona. O seu relacionamento com Ramona, a partir daí, passa a se estranhar de vez em quando e ele tem que derrotar mais ex-namorado do mau. Surge então um que realmente Scott teme: Gideon. Ao que tudo indica Ramona fugiu do mesmo e por isso está no Canadá. Kim Pane e Knives também têm um desenvolvimento à parte, algo que é deixado de lado na adaptação para o cinema. Scott Pilgrim também possui algumas metalinguagens, como por exemplo: “Eu estava conversando com você no capítulo anterior” e coisas do tipo. No final dos volumes, havia uma espécie de posfácio do autor com dicas de músicas que iam de clássicos como The Smiths a bandas mais contemporâneas como Spoon. Nesse “diário de produção do autor”, ele também conta um pouco sobre o processo de criação dos desenhos, algo que para fã de quadrinhos é bem interessante.

O Filme

Preciso comentar que acho os personagens do quadrinho muito parecidos com alguns dos atores que fizeram o filme de 2010, principalmente a Julie (Aubrey Plaza) e Stephen (Mark Webber). E não existe Scott Pilgrim mais perfeito que o Michael Cera. Além dele, a adaptação de Edgar Wright conta com Mary Elizabeth Winstead como Ramona Flowers, Anna Kendrick como Stacey Pilgrim (irmã de Scott), Kieran Culkin (o irmão de Macaulay Culkin) como Wallace, Chris Evans como Lucas Lee (um dos ex-namorados do mal), Alisson Pill como Kim Pane, Ellen Wong como Knives Chau, Jason Schwartzman como Gideon e a vencedora do Oscar Brie Larson como Envy Adams.

O filme é fiel, na medida do possível, ao quadrinho e certamente pode agradar (e muito) os fãs das histórias de Bryan Lee O’Malley. Wright desempenhou um trabalho bastante consistente na direção do longa e traz um aspecto bastante divertido e irreverente para as mais diversas cenas. O design de produção de Marcus Rowland também é bastante chamativo, seja pela paleta de cores (que reflete também nas vestimentas e cabelos dos personagens, algo que não poderíamos ter com total fidelidade no quadrinho já que ele é todo em preto e branco, com exceção das capas) ou pelas formas dos cenários, que trazem um aspecto surrealista, inventível e imaginativo para a trama.

No mais, o quadrinho termina de uma forma mais legal que o filme, pois além de mostrar o destino dos protagonistas também temos o destino de alguns coadjuvantes importantes como a Kim, Wallace e Stephen. Mas ambos roteiros são divertidíssimos e misturam comédia e cotidiano de forma bastante competente e criativa. Vale a pena!



Fã de Miyazaki, Aïnouz, Salles, Mendonça Filho, Von Trier, Thomas Anderson, Haneke e Bergman. Dirigi dois curta-metragens "A-MA-LA" e "Senhor Linux e sua Incrível Barba", ambos pela Pessoas na Van Preta Produções.