16
abr
2017
Volta Ao Mundo Em 80 Filmes: “Puro Mula”
Categorias: Críticas, Volta ao Mundo em 80 Filmes • Postado por: Mariana Tocci

Puro Mula (Puro Mula)

Enrique Pérez Him, 2011
Roteiro: Ariel Escalante, Enrique Pérez Him
República da Guatemala
BEST Picture System

4

Neste domingo de Páscoa, pousamos na América Central para conhecer a República da Guatemala. Na comédia de Enrique Pérez Him, Joel Fonseca (Domingo Lemus) é o típico folgado que está chegando aos 30 anos sem trabalho, ainda irresponsável e sendo sustentado pelo pai. O filme se passa em um dia, mais exatamente no dia em que a irmã de Joel pede para que ele tome conta do sobrinho. O menino ou “El niño”, como é chamado, desaparece e o tio sai em uma busca pela colônia.

Joel, mesmo tendo perdido o sobrinho, se distrai na caçada ao menino e encontra diversas pessoas da colônia em seu roteiro. Parece até irreal o modo como o protagonista é desleixado em sua procura. Porém, conforme as horas passam e as pessoas cruzam seu caminho, Joel começa a repensar sua vida.

Diferente de outros filmes selecionados na Volta ao Mundo, este não se prende a um momento histórico ou acontecimento importante no país. Pouco se mostra da Guatemala. Porém, pode-se descobrir alguns costumes do país, por meio da linguagem informal falada. O nome do filme, à propósito, faz referência a Joel e é uma expressão guatemalteca para designar alguém estúpido, preguiçoso e que sempre comete erros.

É interessante perceber como o longa mostra os homens e as mulheres ao longo da história. Eles, exemplificados por Joel e Pablo, são “fardos”, não trabalham e não querem saber de outra vida que não esta que vivem. Já as mulheres (a irmã, a esposa de Pablo, a amiga de Joel, por exemplo) são todas responsáveis e sustentam a família. Mas não sei dizer se isto é algo comum no país ou somente uma visão dos responsáveis por Puro Mula. Além disso, elas também são representadas como bravas e estressadas.

O final do longa traz um diálogo que considero um dos mais importantes do filme. É ali que Joel reflete sobre os encontros e acontecimentos de seu dia. Se algo vai mudar dali para frente ou se a história é cíclica, não é o mais relevante. O significativo, para mim, é a reflexão em si. Domingo Lemus faz bem o papel de desleixado que se dá bem levando os outros na lábia. Além do protagonista, o longa também tem Diego Girón Tarragó como “El Niño”, sendo fofo e uma peste ao mesmo tempo.

Puro Mula é um filme que não traz nenhuma grande novidade estética ou de roteiro para o universo do cinema, mas ele cumpre o que se propõe a fazer. Acredito que a comédia é algo cultural, então acho que deve ser uma tarefa difícil fazer um público, de um local diferente do seu, rir. E o longa de Enrique Pérez Him conta sua história, entretém e diverte o público com uma linguagem local e informal! E vocês, o que acharam da viagem a República da Guatemala?

Na próxima semana, visitaremos a Holanda com Os Últimos Dias de Emma Blank, de Alex van Warmerdam! Não percam!



Apaixonada por filmes da Disney, mas assisto de tudo um pouco: musicais, filmes antigos, séries (só não me deixe sozinha assistindo um filme de terror, por favor). Sou estudante de Jornalismo e ainda acredito que a Summer, de (500) Dias Com Ela, não era uma vadia.