26
maio
2017
Netflix Radioativa 6# – “Laerte-se” e “A Guarda do Leão”
Categorias: Netflix Radioativa • Postado por: Raphael Cancellier

Depois de indicar um longa de terror iraniano e uma série de drama familiar, a Netflix Radioativa está de volta com duas novas dicas para você aproveitar o seu final de semana na plataforma de streaming que não para de crescer. Dessa vez, vamos de um documentário nacional e uma série derivada de um clássico do cinema! Confira:

Filme

Famosa cartunista brasileira, Laerte Coutinho ficou ainda mais em evidência quando, aos 57 anos de idade, assumiu sua transexualidade, sendo figurinha carimbada em programas de entrevista e documentários para televisão. Laerte-se, documentário original da Netflix dirigido por Eliane Brum e Lygia Barbosa da Silva, tenta trazer para a tela um pouco do que é a vida de Laerte e do que ela pensa após assumir seu novo gênero.

Longe do convencional, Larte-se foge dos enquadramentos caretas dos documentários e aposta em uma câmera mais intimista, trazendo inclusive muitas vezes no quadro, ao lado da personagem principal, a cineasta fazendo as perguntas, ou simplesmente conversando sobre a vida. A abordagem faz com que o espectador se aproxime daquela história que ali está sendo contada, por mais confusos que pareçam ser os pensamentos de Laerte, que traz em seu semblante uma insegurança natural de quem decidiu assumir a transexualidade somente após meio século de vida.

Laerte-se está longe de ser uma obra-prima, mas ainda sim se torna necessário para os tempos contemporâneos de falta de empatia pelo próximo. Não só por ser um claro exemplar da militância LGBT, mas, também por falar um pouco sobre o momento político por que passa o país. É um interessante pontapé inicial para os documentários nacionais na plataforma de streaming mais popular do mundo. (Por Pedro Bonavita)

Série

Uma das surpresas mais positivas que a Netflix me proporcionou neste ano foi a série A Guarda do Leão.

Exibida em 2016 no canal Disney Channel como filme para televisão e depois dividida para se adaptar ao formato seriado, a produção apresenta Kion, filhote de Simba e Nala, irmão mais novo de Kiara. O príncipe recebe uma missão, que antes fora confiada ao seu tio, o vilão Scar, de proteger as terras do reino. Junto com os seus amigos, o leãozinho luta contra as ameaças, principalmente da hiena Janja e seus comparsas.

O mais bacana da série é o fato de ela se manter fiel ao enredo original do filme. Além disso, conta com a participação do memorável Mufasa, Timão e Pumba, Rafiki, Kiara, entre outros, que povoam o nosso imaginário quando pensamos no clássico. Os estúdios Disney têm o péssimo hábito de perder a qualidade de suas produções originais quando as transforma em série. Já A Guarda do Leão – além de possuir um enredo que cativa, recheado com músicas excelentes – também mantém uma ótima qualidade em sua fotografia, em seu design e no argumento, renovando o clássico, sem deixar de lado a sua essência. (Por Raphael Cancellier)

Aproveite para ler também;

Netflix Radioativa 3# – “The Propaganda Game” e “The Get Down”

Netflix Radioativa 4# – “Frank” e “Bates Motel”

Netflix Radioativa 5# – “Sob a Sombra” e “Bloodline”

Cinco coisas que você não sabia sobre Rubens Ewald Filho!



Futuro roteirista de TV e cinema, assisto de tudo, sem preconceitos, e procuro prestar atenção na forma como a história é contada. Sou apaixonado pelo cinema brasileiro contemporâneo, mas também sou Disneymaníaco. Meus diretores preferidos são Almodóvar, Gabriel Mascaro, Tarantino, Aïnouz, Von Trier e Sofia Copolla.