24
jun
2017
5 coisas que você não sabia sobre “MIB: Homens de Preto”
Categorias: Listas Radioativas • Postado por: Marcelo Silva

Acredite ou não, já vai fazer vinte anos que MIB: Homens de Preto foi lançado. O filme é baseado nos quadrinhos de Lowell Cunningham e tem como protagonistas os agentes J (Will Smith) e K (Tommy Lee Jones), membros de uma organização secreta que monitora a presença de alienígenas na Terra. Considerado um clássico dos anos 90, o longa ganhou o Oscar na categoria de Melhor Maquiagem e também recebeu indicações a Melhor Trilha Sonora e Melhor Direção de Arte – perdendo para o favorito Titanic. O longa do diretor Barry Sonnenfeld ainda teve duas sequências: MIIB – Homens de Preto II (2002) e MIB³: Homens de Preto (2012), que passaram longe de repetir o mesmo sucesso do original.

Aproveitando o aniversário de vinte anos, o Pipoca Radioativa resolveu listar cinco curiosidades sobre o filme que você provavelmente não sabia. Confira:

Sucesso de vendas

Os óculos escuros usados no filme são conhecidos como Ray-Ban Predator 2. Depois do lançamento do longa, as vendas desse modelo triplicaram: a arrecadação foi de 1,6 milhões para 5 milhões de dólares!

Tarantino na direção, Robin como J e Clint Eastwood como K?

Da esquerda para a direita: Quentin Tarantino, Chris O’Donnell, Clint Eastwood e John Turturro

Depois de três filmes, todo mundo já se acostumou a ver Will Smith como J, Tommy Lee Jones como K e Barry Sonnenfeld na direção. No entanto, a equipe poderia ter sido totalmente diferente. Quentin Tarantino foi convidado a dirigir o primeiro MIB, mas recusou. Quem também disse não ao longa foram Chris O’Donnell (o Robin de Batman Eternamente e Batman & Robin), Clint Eastwood e John Turturro. Enquanto O’Donnell foi cotado para dar vida ao agente J, os dois últimos declinaram o convite para interpretar, respectivamente, K e o vilão Edgar (cujo papel acabou ficando para Vincent D’Onofrio).

De qualquer jeito, fica a dúvida: como seria o filme com esses quatro?

Seis horas de trabalho

Rick Baker transformando Vincent D’Onofrio em Edgar

A maquiagem do vilão Edgar demorava seis horas para ficar pronta. Não à toa, o trabalho rendeu um Oscar aos maquiadores Rick Baker e David LeRoy Anderson – isso em uma noite em que Titanic estava levando praticamente todas as estatuetas.

Convenção alienígena


Como forma de preparação para o papel, Will Smith participou de uma Convenção de Encontro Alienígena (seja lá o que isso signifique) em Las Vegas.

Andando como um inseto

Quem também levou a preparação a sério foi o ator Vincent D’Onofrio: intérprete do alienígena Edgar, ele assistiu a documentários sobre insetos para aprender a movimentar seu corpo como um. Durante as filmagens, D’Onofrio ainda usou uma cinta especial para que não dobrasse os joelhos enquanto caminhava.

Fonte: IMDB

Aproveite para ler também

5 coisas que você não sabia sobre “Mulher Maravilha”

5 coisas que você não sabia sobre “Corra!”

5 coisas que você não sabia sobre Rubens Ewald Filho!

Entrevista com o crítico Pablo Villaça!



Quem sou eu? Uma mistura de Walter Mitty com Forrest Gump. Um cara que tem vontade de fazer tudo o que Mark Renton fez em Trainspotting. Um cinéfilo que tem a certeza de que a vida não seria a mesma se não existisse o cinema. Diretor preferido? Assim fica difícil: amo de Zé do Caixão a Stanley Kubrick!