13
out
2017
Netflix Radioativa 13# – “Raw” e “Santa Clarita Diet”
Categorias: Netflix Radioativa • Postado por: Pedro Bonavita

Sexta-feira 13. 13ª Netflix Radioativa. Coincidência? Talvez. Proposital? Talvez também.

Filme

É impressionante o poder que o cinema tem em falar sobre o mesmo assunto de maneiras completamente distintas. Se em Okja o veganismo/vegetarianismo foi tratado de uma maneira completamente lúdica, em Raw, filme francês dirigido por Julia Ducournau, trata do mesmo tema de uma maneira completamente alegórica, porém passando bem longe do lúdico. Na trama acompanhamos a vegetariana Justine (Garance Marillier) que ao entrar na faculdade de veterinária sofre com os trotes que incluem banho de sangue e comer fígado; aos poucos a caloura começa a despertar um instindo canibal que passa a ser difícil de controlar.

O longa possuí cenas gráficas que podem chocar o público (inclusive tem uma história de que pessoas desmaiaram e vomitaram na exibição do filme no Festival de Toronto), mas a maneira como a diretora conduz o ritmo da narrativa é o que realmente chama a atenção, muito firme, sem fugir da responsabilidade e do recado que quer passar. E, apesar de ser bem claro o intuito do roteiro, é interessante perceber como ao final da exibição o espectador consegue ter em mente outras questões filosóficas.

Dito isso, Raw é um filme difícil de digerir (rs), mas que é muito bem executado, tornando-se um dos melhores do gênero. Além de fugir de Hollywood, o que é maravilhoso.

Série

Santa Clarita Diet é uma série de comédia/terror que por conta do seu elenco estrelar, esperava-se que tivesse uma recepção melhor de público e crítica. A trama acompanha a família de Sheila (Drew Barrimore) e Joel (Timothy Olyphant), um casal de corretores de imóveis da pacata cidade de Santa Clarita, até que uma “tragédia” acontece e Sheila começa a se alimentar de carne humana. Assim como o Raw, a série também trata de canibalismo, mas focando muito mais no humor do que em uma crítica social, apesar de existir, é claro.

Graficamente forte, Santa Clarita Diet tem seus momentos de diversão, tratando com muito humor as situações mais inusitadas, que por mais fora de realidade que possam ser, parecem muito orgânicas ao roteiro, já que a série faz questão de não se levar a sério em nenhum momento. Poderia ser melhor? Certamente tem gás pra isso, já ganhou uma segunda temporada. Apesar de perder o fôlego aqui e acolá, serve como um ótimo passatempo (se você tiver estômago forte) da Netflix.



Paulista radicado no Rio de Janeiro, produtor e futuro diretor; formado em cinema e amante da sétima arte. Fã de Kubrick, Tarantino, Fincher e defensor do cinema nacional. Eterno sonhador: sonho tanto que acredito fielmente que um dia nosso cinema será reconhecido por aqui.