15
abr
2019
Game of Thrones: o melhor e o pior do episódio de estreia!
Categorias: Artigos, Críticas, Pipoca Seriados • Postado por: Maisa Carvalho

A tão antecipada estreia da 8ª temporada de Game of Thrones finalmente chegou. No domingo (14) as expectativas eram altas e a espera de dois anos finalmente acabou, agora, pelas próximas seis semanas, o mundo inteiro vai acompanhar o desfecho de uma das maiores séries de fantasia de todos os tempos.

Por toda a internet, os fãs da série expressaram suas decepções e surpresas do primeiro episódio da temporada oito. Intitulado “Winterfell”, o episódio reuniu pela primeira vez desde o piloto personagens de todos os cantos de Westeros, além dos estrangeiros de Essos trazidos por Daenerys.

O episódio não vai estar na lista dos melhores, pareceu um episódio transitório e um pouco sem graça. E claro, foi apenas o primeiro episódio e fez seu papel de fundamentar a temporada inteira, mas a sétima temporada já serviu para começar vários pontos do enredo que precisariam ser trabalhados nesta última temporada, então o último episódio pareceu desperdiçar um pouco do precioso tempo de apenas seis episódios para concluir a série.

Alguns dos momentos mais aguardados foram um pouco apáticos na tela, como o reencontro de Arya e Gendry, o momento entre Daenerys e Jon e até a revelação de Sam para Jon sobre sua verdadeira origem. No entanto, os momentos positivos da série foram realmente satisfatórios.

Não dá para ignorar a nova abertura, que está maravilhosa, além de todos os paralelos do primeiro episódio da última temporada com o piloto, o começo de tudo. E a cena de início, com Daenerys e Jon chegando com um exército de estrangeiros no Norte, foi emocionante.

Uma das melhores coisas já estabelecidas no episódio foi a força do nome Stark, com Arya e Sansa se mostraram dispostas a qualquer preço a defender sua família e sua casa. A evolução das duas personagens é algo impressionante, os arcos sofridos e brutais finalmente estão sendo finalizados com a formação de duas mulheres fortes, inteligentes e no mesmo nível de personagens como Tyrion e Cersei Lennister.

A cena entre Tyrion e Sansa, em que ela quase debocha da inocência do personagem mais admirado por sua inteligência na série por ter acreditado na irmã, é um dos exemplos perfeitos disso.

A desconfiança de Sansa com Daenerys e a tensão entre as duas, além de fazer sentido para a série e as personagens, também parece estabelecer um dos principais conflitos internos e pessoais da temporada, além de mostrar sensatez e amadurecimento da parte de Sansa, por não confiar em uma rainha que ela não conhece.

Um dos pontos mais fortes de toda a série, é que ameaça do Rei da Noite e dos Caminhantes Brancos foi apresentada logo no primeiro episódio, mas os conflitos internos das personagens foram entrando no caminho e deixando tudo isso de lado, agora, a ameaça é concreta e já destruiu a Muralha, então é importante prestar atenção nos conflitos internos entre as personagens que podem atrapalhar as possíveis colaborações para defender Westeros.

Outro possível conflito e momento incrível do episódio, veio na forma de Samwell Tarly, ao se encontrar com a Rainha dos Dragões e descobrir sobre sua família. A forma sutil em que ele se deixa suas expressões faciais falarem por ele é devastadora, e quando decide ir contar a Jon sobre sua verdadeira origem, mostra que mesmo com a confiança de Jon, Daenerys é ainda muito desconhecida para boa parte das personagens, e a legitimidade de Jon como um Stark e um Targeryan, faz dele não apenas um rei escolhido pelo Norte e o Povo Livre, mas um legítimo herdeiro ao trono dos Sete Reinos.

Por fim, o final do episódio foi também um bom e aguardado momento, a chegada de Jamie Lannister em Winterfell, também pela primeira vez desde o piloto. O Regicida que parecia o mais leal dos apoiadores de Cersei no trono de ferro se juntando a causa do Norte contra o Rei da Noite é um dos principais desencadeadores de vários conflitos que podem atrapalhar a união do grupo para a verdadeira ameaça.

A verdade é que Game of Thrones é um vítima do próprio sucesso, com fãs no mundo inteiro, é um fenômeno cultural e por melhor que seja a equipe de roteiristas, o final vai ser agridoce, é impossível que a série consiga satisfazer e muito menos agradar a todos os fãs da saga. Uma coisa é certa, no entanto, vai ser um evento como nenhum outro na história da televisão.



Não gosto da palavra "cinéfila", então digo que apenas que amo assistir a filmes e não tenho essa de não gostar de um gênero, para mim, se o filme for bom, pouco importa onde ele se encaixa. As histórias têm esse poder de despertar um encantamento em mim, por isso eu sempre vou atrás de mais e é por isso que eu vim escrever sobre elas aqui.