28
dez
2019
“Exorcismo: Ritual Romano” e os clichês das obras de possessão!
Categorias: Biblioteca Radioativa • Postado por: Rafael Hires

Exorcismo: O Ritual Romano (Román Ritual)

El Torres, Jaime Martinez e Sandra Molina
DarkSide Books, 128 páginas 
Compre AQUI e AQUI

3.5

Este livro é uma cortesia da DarkSide Books.

Possessões demoníacas. Um tema sempre explorado no campo do terror, cujos resultados são únicos, podendo ser bem aproveitados e resultando em obras como O Exorcista, O Exorcismo de Emily Rose, entre outros.

Porém, quando mal trabalhadas geram resultados incômodos como em A Freira. E o universo Invocação do Mal parece ter se especializado em falar sobre possessões de todos os tipos, além de ter produzido um dos maiores icones de terror dos ultimos anos: a temida freira Valak. 

Aproveitando essa esteira de sucesso ocasionada pelo universo constituído por James Wan, a DarkSide decidiu lançar seu mais novo quadrinho com uma personagem similar a maldita freira de Wan.

O papa foi acometido com uma possessão, na qual vários espíritos (que novidade) o tornam frágil e suscetível a influencias, além de provocar uma ruptura na ordem da igreja. Um padre exilado acaba sendo chamado para resolver o problema, mas existem segredos que podem ocasionar num dos maiores escândalos da arquidiocese.

As similaridades a obras citadas no inicio são evidentes, não apenas pelos momentos retratados na HQ, mas também pelo uso exacerbado de falas do filme de Friedkin. Não quer dizer que seja algo terrível, pois quando um clichê é bem usado se torna algo desculpável. Porém, o uso aqui dos clichês só faz com que a obra seja menos impactante e original do que seus materiais fontes, portanto, pecou na falta de originalidade.

Além disso, temos o personagem de John Brennan. Não sei se é coincidência, porém devido ao seu método questionável de exorcismo e uso de técnicas pouco ortodoxas parece que o mesmo inspirou o “curandeiro” de A Maldição da Chorona. Para ficar ainda mais aberta a crítica a Igreja Católica em um determinado dialogo super expositivo. Há relatos de coisas condenáveis já praticados por membros da igreja, que de certa forma o torna ainda mais clichê.

A arte é muito bem feita. Os personagens são bem feitos e as cenas mais pesadas da HQ são bem intensas, mais gráficas e impactantes do que qualquer cena já feita pela franquia de Wan. A decapitação do padre amigo de John é muito explicita e impactante. Sandra Molina é uma colorista de mão cheia e que sabe como dar uma atenção especial quando o assunto é gore. O sangue é de um vermelho vibrante e é capaz de chocar os mais impressionáveis.

Apesar dos pesares do roteiro de El Torres, o ritmo flui bem e creio que se fosse adaptado futuramente para filme seria um capitulo da saga Invocação onde Valak teria aprontado antes de infernizar a vida dos Warren, devido a similaridade gritante entre as entidades.

Exorcismo: O Ritual Romano não o quadrinho mais original da história, nem mesmo o mais assustador, mas está longe de ser um dos quadrinhos mais toscos já feitos. Mesmo com toda a grande quantidade de clichês, ainda assim é uma leitura divertida.



Fã alucinado da sétima, oitava e nona arte, decidi me aprofundar em seus conhecimentos ao entrar na faculdade. Agora, formado em Realização Audiovisual na Unisinos, dedico meu tempo a muitas outras aventuras emocionantes.