01
dez
2019
Stacey Graham discute a relação dos fantasmas com o mundo dos vivos no livro “Objetos Sobrenaturais”!
Categorias: Biblioteca Radioativa • Postado por: Hanon Arthur

Objetos Sobrenaturais

Stacey Graham
Darkside Books, 221 páginas
Compre AQUI

3.5

Não são só os vivos que se sentem sozinhos. Pelo menos é isso o que defende Stacey Graham no livro Objetos Sobrenaturais: histórias reais e artefatos sombrios. Segundo ela, os seres sobrenaturais (ou os fantasmas) sentem a necessidade de entrar em contato com o mundo dos vivos de vez em quando. E eles fazem isso por meio de objetos. O livro de Graham, portanto, faz uma análise aprofundada de vários casos desses objetos tidos então como sobrenaturais.

Não há nenhum esforço da autora de convencer o leitor de que aqueles objetos são de fato sobrenaturais. Ela parte do pressuposto de que o leitor acredita em tudo aquilo que ela escreve. Partir desse pressuposto é fundamental para se entender o livro. Digo isso por experiência própria, pois sou muito cético e foi bem complicado para que eu pudesse então entender a seriedade do assunto. Mas em um primeiro momento, a leitura flui normalmente.

É fundamental nesse primeiro contato, por que a escrita é bem dinâmica e não perde tempo se justificando ou justificando as forças sobrenaturais apresentadas no livro. A partir daí, Stacey faz uma descrição bem organizada de histórias e casos envolvendo objetos que passaram do ponto no sentido de revelarem para seus donos suas verdadeiras faces sobrenaturais. A autora divide a história pelos objetos, como fotografia, bonecas, ossadas, prédios, etc. E é muito interessante notar como todos os objetos sobrenaturais possuem uma história por trás, que geralmente envolvem traumas de terceiros. Esses traumas se revelam, com mais ou menos força, dependendo da situação em que o objeto se encontra. 

Não há nenhuma intenção da autora em assustar ou chocar o leitor. Muito pelo contrário, a escrita é leve e agradável. A intenção, na verdade, é pura e simplesmente a de uma análise geral desses casos e desses objetos, na procura de entender como e por que esses entes sobrenaturais agem.  

Porém, em prol da fluidez da escrita, o livro deixa a desejar no sentido de criar uma base de pesquisa bibliográfica. Principalmente nos primeiros capítulos, Graham faz um panorama introdutório de casos e objetos sobrenaturais, sem dar uma base de pesquisa que fortaleça suas teses. Ela cita algumas frases de Lorraine Warren, famosa investigadora paranormal, que junto com seu marido, Ed Warren, ficaram conhecidos por serem protagonistas e inspiração para a série de filmes Annabelle, do diretor John R. Leonetti. Talvez o sucesso dos filmes explique, em grande parte, o teor do livro. De qualquer maneira, falta uma análise mais profunda de quem foi Lorraine e de seu trabalho, que foi bastante extenso e completo. Essa análise poderia ter dado mais corpo e veracidade para as histórias contadas por Stacey Graham no livro. 

A obra, portanto, é um prato cheio para quem procura uma leitura leve e interessante sobre o mundo sobrenatural que envolve muitas histórias e filmes de terror e suspense, além de ser uma análise interessante sobre como e porque esses entes sobrenaturais “carentes” resolvem entrar em contato com o nosso mundo.



Sou bacharel em História pela Universidade de São Paulo e atualmente curso Cinema na Faculdade de Artes do Paraná. Tenho 23 anos. Essas informações não significam nada, só estou aqui por ser amigo do Matheus Benjamim. Meus gostos são bem voláteis, mas atualmente meus diretores favoritos são Orson Welles, Paul Thomas Anderson e Yorgos Lanthimos. As vezes eu fico meio rabugento quando escrevo, então peço que relevem.