11
nov
2018
Crítica: “Demolidor” (2ª Temporada)
Categorias: Séries e TV • Postado por: Rafael Hires

Demolidor (Daredevil)

Douglas Petrie e Marco Ramirez, 2016
Roteiro: Douglas Petrie, Marco Ramirez, Mark Verheiden, John C. Kelley, Lauren Schmidt Hissrich, Sneha Koorse, Luke Kalteux e Whit Anderson
13 episódios (48-61 min.)
Netflix

3.5

Depois que o Demônio de Hell’s Kitchen teve sua primeira temporada sendo ovacionada por todos os especialistas, logo garantiu uma nova temporada. E agora, um dos personagens de sua mitologia mais emblemáticos até hoje entraria na série para renovar todo o universo Marvel/Netflix. Essa personagem é Elektra Natchios.

Antes de falar da série, vamos falar da personagem.

Elektra foi criada por Frank Miller, na revista do Demolidor, mais especificamente na edição 168 (janeiro de 1981). Inicialmente, Miller se baseou na fisiculturista americana Lisa Lyon. Tanto que o quadrinho era para ser a única aparição dela, mas logo chamou a atenção e ficou lá desde então.

Elektra nasceu em uma ilha grega perto do Mar Egeu. Filha de Hugo Kostas Natchios e sua esposa Christina Natchios. Ela tinha um irmão mais velho chamado Orestez Natchios. Dois relatos contraditórios de sua história familiar foram dados. Em Elektra: A Raiz do Mal, de D. G. Chichester e Scott McDaniel de 1 a 4 (março-junho de 1995), Christina é morta por assassinos contratados por Orestez, enquanto na edição 18 de sua revista solo (1995), ela é morta por um insurrecionista durante a Guerra Cívil Grega. Em ambos os relatos, sua mãe dá um nascimento prematuro a ela pouco antes de morrer.

Quando uma Elektra de nove anos foi atacada por sequestradores, todos os homens foram mortos por Orestez, que havia se tornado um talentoso artista marcial depois de sair de casa. Orestez aconselhou seu pai que Elektra precisava aprender autodefesa. Ele, então, contratou um sensei para ensina-la artes marciais.

Em Elektra: Assassina #1, de Frank Miller e Bill Sienkiewicz (agosto de 1986), já adulta, tem lembranças vagas de ser estuprada por seu pai aos cinco anos de idade. Anos de aconselhamento e medicação convenceram-na de que aquilo era uma falsa lembrança, mas a dúvida permaneceu. Elektra cresceu perto de seu pai, mas foi atormentada por visões negras e vozes sem fonte conhecida. Ela ocasionalmente reagiu a elas com auto-mutilação. Seu pai eventualmente a mandou embora para a psicoterapia para se tornar mais estável. Era incerto se ela realmente se tornara ou simplesmente parecia estar.

Hugo Natchios acabou por servir como embaixador grego nos Estados Unidos. Elektra, de 19 anos, estudou na Columbia University, em Nova York. Lá, ela começou a namorar o colega Matt Murdock.

Um ano depois, ela e seu pai foram sequestrados por terroristas. Uma tentativa de resgate por Matt deu errado, e Hugo Natchios foi morto a tiros. Elektra perdeu a fé e a esperança. Ela deixou a universidade e voltou para a China para estudar artes marciais. Stick, um membro da organização benevolente chamada Virtuosos, reconheceu a escuridão em sua alma e tentou treiná-la, mas finalmente ficou do lado do Tentáculo, uma seita de ninjas místicos que a treinaram como uma assassina. Mais tarde, ela se afastou deles e se tornara uma agente independente, e neste papel ela encontrou novamente Matt Murdock, que agora estava ativo como Demolidor. Ela o derrota em sua missão de matar o criminoso Alarich Wallenquist. No entanto, ela falhou em sua missão, e o Demolidor teve que salvá-la de ser morta por Eric Slaughter, revelando sua identidade secreta no processo. Embora eles trabalhassem em conjunto para lutar contra o Tentáculo, eles também entraram em conflito com frequência.

Elektra depois lutou contra a mão ao lado de Demolidor e Gladiador. Ela então lutou contra Kirigi.

Ela logo se tornou a principal assassina a serviço do principal criminoso de Nova York, o Rei do Crime. Ela tentou matar o Demolidor depois que ele tentou impedi-la de aterrorizar Ben Urich. O Rei do Crime então designou-a para matar o sócio de Matt Murdock, Franklin “Foggy” Nelson. Quando Foggy reconheceu Elektra como a namorada de Matt, ela não conseguiu matá-lo.

Elektra foi fatalmente esfaqueada pelo Mercenário com um de seus próprios sai em uma batalha sobre qual deles seria o assassino do Rei do Crime. Elektra conseguiu rastejar para a casa do Demolidor antes de morrer em seus braços enquanto o Mercenário observava os dois, escondidos entre uma multidão que se reuniu para ver o que estava acontecendo.

Mais tarde, membros do Tentáculo roubaram seu corpo e tentaram ressuscitá-la. O Demolidor, com a ajuda de Stone, um membro da ordem de Stick, interveio, derrotando o ninja do clã. O Demolidor então tentou revive-la. Embora sua tentativa tenha falhado, ela teve o efeito de purificar a alma de Elektra. O corpo dela desapareceu subsequentemente, assim como Stone.

Mais tarde, Stone de alguma forma ressuscitou Elektra e, em seguida, enviou-a para ajudar o X-Man Wolverine, em um momento em que ele tinha fisicamente e mentalmente regredido para uma forma bestial. Ela ajudou a retreiná-lo ao ponto de poder pensar e vocalizar como humano mais uma vez, e passou mais tempo com ele depois que ele retornou à sua forma normal, incluindo levá-lo com ela em um retorno à sua casa ancestral.

Algum tempo depois que sua parceria com Wolverine terminou, foi revelado que quando ela foi ressuscitada por Stone, o aspecto maligno de Elektra havia sido fisicamente separado dela em seu próprio corpo, como consequência do ritual realizado pelo Demolidor. Sua metade mais cruel, chamando a si mesma de Erynys, lutou contra Elektra e foi morta por ela, retornando assim para a sua alma.

Ela foi contratada por Nick Fury para assassinar Saddam Abed Dassam, o líder do Iraque, que estava em aliança com a H.I.D.R.A., e recuperar a Chave de Escorpião deles. Fury a contratou como uma maneira de evitar a responsabilidade nos círculos políticos globais. Ao longo do caminho, a H.I.D.R.A. tentou contratá-la, uma oferta que ela recusou. Eles então colocaram o Samurai de Prata para ela e parecia que ela o matou, embora ele aparecesse vivo e bem em outros quadrinhos. Quando ela finalmente obteve a Chave, ela se recusou a dar a Fury, acreditando que ele não poderia ser confiável com uma arma tão poderosa. Em vez disso, ela deu ao policial que matou o pai afirmando que ele tinha uma dívida com ela e que ele não a decepcionaria.

Durante a saga Wolverine: Inimigo do Estado, Elektra era um dos “mocinhos” quando trabalhava com S.H.I.E.L.D.

A H.I.D.R.A. e o Tentáculo juntaram forças, matando vários heróis e ressuscitando-os em seus guerreiros possuídos, incluindo o X-Man Wolverine, que se tornou sua máquina de matar. Com base em seu relacionamento com Logan e seus laços com o clã, Nick Fury contratou Elektra para liderar a missão, pagando a ela mais de US$ 200.000, mais dinheiro em um dia do que o (então) salário anual do Presidente dos Estados Unidos. Ela trabalhou para impedir Wolverine de matar os outros, bem como para tentar ligá-lo ao seu estado normal. Durante uma luta com o clã, Elektra foi morta e ressuscitou como uma guerreira do clã, tornando-se a líder. Juntamente com o X-Man Estrela Polar e outros super-humanos mortos e ressuscitados pelo clã, Elektra atacou Nick Fury, ferindo-o gravemente e causando a destruição de um aero porta-aviões da S.H.I.E.L.D.

Graças a S.H.I.E.L.D., Wolverine finalmente caiu em si e quis se vingar. Durante uma briga com Elektra, ela mentalmente falou com ele, usando novas habilidades dadas a ela pelo clã. Ela explicou que ser morta pelo clã fazia parte de um plano que ela tinha desde o começo. Ela explicou que havia sido ressuscitada pelo clã e se infiltrou na organização, fazendo-os acreditar que tiveram sucesso em ressuscitá-la como uma guerreira que sofreu lavagem cerebral. Ela disse a ele que eles iriam pegar o Tentáculo e a H.I.D.R.A. juntos. Eles lutaram contra muitos ninjas e foram vitoriosos. Gorgon, no entanto, atacou Elektra e a livrou de seus bloqueios mentais, permitindo-lhe ler seus pensamentos e ver onde Fury estava sendo tratado de seus ferimentos (ele também descobriu que o Vaticano também a contratou, para matá-lo). Gorgon se tele transportou com Elektra para matar Fury. Quando eles chegaram, Elektra ordenou os soldados atacarem. Gorgon usou seu poder no pescoço dela, desmaiando-a. Wolverine eventualmente usou os próprios poderes de Gorgon contra ele, derrotando-o.

Em um e-mail para Kitty Pryde, Nick Fury disse a ela que Elektra havia sobrevivido, mas estava desaparecida e provavelmente estava na Europa Oriental, criando seu próprio grupo de milícia, que ela na intenção de ser sua própria versão do Tentáculo. Ele também disse a Kitty que a Elektra não era uma ameaça… até agora. Era desconhecido onde Elektra realmente estava ou quais eram seus planos, mas foi durante o tempo que se seguiu à destruição do aero porta-aviões que ela foi raptada pelos Skrulls e substituída por uma impostora.

Ela ressurgiu para ajudar o Demolidor com um problema com o Rei do Crime. Fisk, em troca de sua liberdade, ofereceu ao FBI provas irrefutáveis ​​de que Matt Murdock era o Demolidor. Foi revelado que Elektra realmente o ajudou a obter todas as informações necessárias quando ela era inimiga do Demolidor, e ela retornou porque sentia a obrigação de ajudar Matt no problema pelo qual ela se sentia responsável. Também foi revelado pela Viúva Negra que Elektra é agora a líder do Tentáculo.

O Demolidor se encontra com Elektra, a Viúva Negra e o nova Tigresa Branca em frente ao prédio que contém o Dossiê Murdock (a evidência de que o Rei do Crime estava falando). Eles pretendiam recuperar os documentos antes que o FBI pudesse chegar lá, mas foram subitamente atacados por Mercenário. Ela e o Demolidor lutaram contra o vilão e, após uma longa e sangrenta batalha, venceram. No entanto, o Demolidor foi subitamente assassinado por Paladino (que trabalhava para agentes do FBI) ​​e ficou sangrando cronicamente nos braços de Elektra. Ela, em seguida, leva Matt para Linda Carter, A Enfermeira da Noite, mas insiste que o Tentáculo deve curá-lo. Viúva aparece e rejeita a ideia. Enquanto Elektra e a Viúva lutam, o clã cura Matt.

Fora do consultório médico da Enfermeira, repórteres e policiais se reúnem. Elektra então salta pela janela lateral, junto com o clã para expulsar a polícia e o FBI. Ela entra em uma briga com Luke Cage e rapidamente sai da cena a pedido de Matt.

Durante a saga Invasão Secreta, Elektra aparentemente reaparece, parecendo estar corrompida pelo Tentáculo. Ela mata, ressuscita e aprisiona a vigilante Eco (Maya Lopez), pretendendo usá-la como arma. Os Novos Vingadores resgatam Lopez e ela acaba esfaqueando Elektra até a morte. No entanto, após a sua morte, é revelado que “Elektra” é na verdade um Skrull disfarçado; sua morte indica que os Skrulls se tornaram indetectáveis ​​até mesmo para os sentidos aguçados dos membros de Novos Vingadores: Homem-Aranha, Wolverine e Doutor Estranho. O cadáver é dado ao Homem de Ferro pela Mulher-Aranha.

A revista Poderosos Vingadores #16 revela que Elektra foi selecionada para ser substituída por um impostor Skrull chamado Siri. Ela foi alvo de vários impostores Skrull enquanto permaneceu no Japão, no entanto, Elektra lutou e matou a maioria destes Skrulls (incluindo Siri), antes de ser pega de surpresa e espancada por um Super Skrull manifestando a invisibilidade da Mulher Invisível e armadura de aço orgânica de Colossus. Um Skrull chamado Pagon ocupou o lugar de Elektra desde que Siri fora morta por Elektra. A morte de Pagon foi planejada o tempo todo, sendo sua maior “revelação” de sua intenção de dominar os super-heróis do mundo.

A verdadeira Elektra foi revelada como viva numa das naves dos Skrull e liberada durante a batalha final entre os heróis e os Skrulls. O Homem de Ferro imediatamente ordena que ela seja mantida sob custódia da S.H.I.E.L.D.

Sendo a única prisioneira dos Skrull, mostrando sinais de testes e tortura, Elektra se encontra enfraquecida e com vários ferimentos. Norman Osborn ordena que ela seja estudada e monitorada para obter informações sobre por que isso aconteceu. O Paladino invade a sede da H.A.M.M.E.R. (antiga S.H.I.E.L.D.) pretendendo matar Elektra por US$ 82 milhões. Ela domina Paladino e o sufoca, cuspindo seu dente quebrado em sua garganta. Ela o força a entregar as chaves para ela escapar. Antes de sair da cela, ela mata o interrogador que a torturava, para conseguir informações sobre a mesma. Ela finalmente consegue escapar, depois de derrubar vários agentes da H.A.M.M.E.R. e consegue chegar ao escritório de Matt e pegar seus estoques de primeiros socorros. Depois de ser confrontada por Foggy Nelson, ela desmaia devido a uma extensa perda de sangue, oriunda de seus ferimentos.

Elektra acorda algemado a uma cama de hospital na clínica da Enfermeira. A Enfermeira explica que amarrou Elektra para sua própria segurança, embora ela facilmente se liberta. A conversa delas é interrompida quando uma assassina chamada Nico interrompe e tenta matar as duas. Elektra atira Nico pela janela, em seguida, arma-se com as suas armas, enquanto diz à Enfermeira para escapar. Elektra pula no beco e luta com Nico, apenas para descobrir que outro matador chamado Carmine também está tentando matá-la com um rifle sniper de um telhado. Ela consegue derrotar Nico enquanto evita os tiros de Carmine e obtém algumas pistas de Nico sobre por que ela estava sendo alvo de assassinato. No telhado, Carmine é assassinado pelo Mercenário (sob o disfarce de Gavião Arqueiro), que foi enviado por Norman Osborn para matar Elektra.

Elektra sobe ao topo do prédio para confrontar o terceiro assassino, apenas para ser pega de surpresa quando descobre que ele é Mercenário. Embora inicialmente hesitante, ela permanece firme e enfrenta seu assassino. Os dois começam a lutar quando Nico consegue chegar ao telhado para verificar Carmine. Mercenário tenta matá-la com uma flecha drogada, mas ela é salva por Elektra (que acidentalmente tem as drogas dentro de seu corpo no processo). Mercenário então chuta a aparentemente sedada Elektra do prédio, mas ela consegue pousar com segurança. Mercenário a segue e a confronta na rua, tentando matá-la com seu próprio sai, muito parecido com o primeiro encontro deles. No entanto, desta vez, Elektra o ultrapassa e o apunhala pelas costas com uma de suas próprias flechas. Nico mais uma vez interrompe a luta, tentando atirar em um Mercenário fugindo, em seguida, confrontando um Elektra indefesa e drogada. Os agentes da H.A.M.M.E.R. entram na briga e atiram em Nico, mas são emboscados e mortos por Wolverine antes que eles consigam acabar com Elektra.

Depois de escapar dos agentes da H.A.M.M.E.R., Wolverine revela a Elektra onde Nico foi, e Elektra tenta confrontar o problema de frente e encerrar pacificamente o conflito. Chegando ao local do acidente do aero porta-aviões Blackhawk, ela descobre que o agente Brothers, um ex-agente da S.H.I.E.L.D., foi quem colocou um preço em sua cabeça. Brothers afirma que ela foi responsável por matar centenas de agentes durante o incidente com Blackhawk.

Elektra, não tendo nenhuma lembrança do incidente, nega as acusações e pede a Brothers e Nico para deixarem-na em paz, afirmando que foi seu impostor Skrull quem foi o responsável pelo incidente. No entanto, Norman Osborn aparece e revela que Elektra foi de fato raptada após o ataque ao aero porta-aviões, embora ela não tenha lembranças disso porque usou um truque mental para “esquecer” suas ressurreições e os incidentes que os cercavam para evitar que os Skrulls os acessassem durante o seu rapto. Norman incita Elektra para desfazer esse truque mental e Elektra força. É então revelado que Elektra é realmente culpada das acusações. Ela então segue para matar Nico e Brothers.

Durante o arco Terra de Sombras, Stick tenta convencer Elektra a impedir que o Tentáculo corrompa Matt. No entanto, ela se recusa, porque ela queria que ele fosse de coração frio, assim como ela por ódio a ele. Ela reconsidera quando testemunhou a transmissão do Demolidor matando Mercenário. Ela se junta ao clã para poder obter informações sobre a fortaleza das Terras das Sombras para ajudar os super-heróis a se infiltrarem nela.

Mais tarde, depois de voltar ao Tentáculo, Elektra visita o Demolidor e Mary Tyfoid no túmulo do Mercenário com a intenção de ressuscitá-lo. Ela então ajuda a infiltrar os super heróis no prédio, para impedir o Demolidor de ressuscitar o Mercenário. Uma luta acontece e justamente quando Elektra tentou alcançar Matt, o Demônio do Tentáculo finalmente o possui. Uma vez que ele derrota todos os super heróis, Punho de Ferro (olha ele aí de novo) usou sua energia chi no demônio para ajudar a curar a alma de Matt. Enquanto isso acontecia, Elektra entrou na mente de Matt para encorajá-lo a lutar contra a presença maligna do demônio. Matt se matou para impedir que o demônio causasse mais caos. Elektra mais tarde, ressuscitou ele.

Como parte da iniciativa de 2012 Marvel NOW!, Elektra se torna um membro dos Thunderbolts do Hulk Vermelho. Durante o arco Os Vingadores: Vertentes!, Elektra foi encarcerada por alguma razão desconhecida em Pleasant Hill, um condomínio fechado estabelecido por S.H.I.E.L.D. A S.H.I.E.L.D. usou os poderes de Kobik para transformá-la em Xerife Eva. Durante esse tempo, ela estava apaixonada pela forma humana alterada do Homem-Absorvente de um vendedor de sorvetes chamado Henry. Depois que os barões Helmut, Zemo e Arranjador começaram a usar uma máquina para transformar todos os internos de volta ao normal e Elektra estava entre os restaurados. Ela falou com o Homem-Absorvente para prejudicar as vidas inocentes em Pleasant Hill.

Durante o enredo de Guerra Civil II, Elektra se inscreveu para se juntar a S.H.I.E.L.D. a fim de libertar sua consciência das mortes dos passageiros do aero porta-aviões acidentado. Ela assumiu o cargo de diretora de campo quando Phil Coulson deixou o grupo. Quando Coulson estava tentando interferir nos planos do Capitão Marvel de usar as habilidades de Ulysses Cain para impedir o crime antes que isso acontecesse, Elektra descobriu que Leo Fitz era agente duplo de Coulson em seu grupo para o qual Maria Hill foi alertada. Ao mesmo tempo, ela também restabeleceu Grant Ward na S.H.I.E.L.D. e colocou um colar explosivo para assegurar sua integridade.

Agora que já conhece melhor a personagem, vamos a 2ª temporada do Demônio da Cozinha do Inferno.

A série algum tempo depois da prisão de Wilson Fisk (Vincent D’Onofrio). Outras facções criminosas começam a tentar tomar os negócios escusos de Hell’s Kitchen. Dentre esses grupos, estão os irlandeses e os mexicanos. Um dos membros consegue escapar e pede ajuda a Matt (Charlie Cox) e Foggy (Elden Henson). Como Matt tem compaixão dos mais desfavorecidos, decidiu não cobrar pelos serviços de advocacia aos seus clientes, fazendo com que a empresa enfrentasse dificuldades financeiras. Karen (Deborah Ann Woll) ainda continua trabalhando para os dois, porém não está muito satisfeita com essa decisão.

Matt, sob o disfarce de Demolidor, decide investigar os cartéis e descobre que todas as armas de grande potencia, foram roubados por um homem, que a promotoria chamou de o Justiceiro (Jon Bernthal).

Na primeira temporada, a série tinha um tom mais realista que a maior parte das séries inspiradas em quadrinhos de super-heróis. E na segunda, decidiu colocar ainda mais sangue e violência, porém não conseguiu gerar a mesma empatia que conquistou o público em seu primeiro ano. Conseguiu ampliar a mitologia do personagem trazendo personagens icônicos como Elektra e Justiceiro, mas decidiu optar por explorar o anti-herói por 4 episódios e nos outros episódios restantes, trazer uma dinâmica de triangulo amoroso com Elektra voltando a NY, deixando Matt confuso. E, conflitando ainda mais, Matt ainda decide ser o advogado de Frank Castle.

Ainda vemos a presença de outros personagens como Madame Gao (Wai Ching Ho), Stick (Scott Glenn), Wilson Fisk e Claire (Rosario Dawson), mas sem a mesma carga que eles traziam a primeira temporada. Stick aparece pouco tempo em tela e não possui momentos memoráveis. Wilson Fisk não possui grandes momentos, já que está preso e só vira ameaça a partir do episódio 8. Claire ainda continua sendo a peça central que iria ligar os quatros heróis na série Defensores, porém não demonstra nada do charme que construiu na primeira temporada.

As cenas de ação são impactantes, porém não possuem o brilhantismo como a cena de enquadramento único no corredor escuro da primeira temporada ou mesmo a icônica cena de batalha entre Fisk e Murdock. Uma das cenas mais antológicas é Murdock acorrentado a uma chaminé ouvindo o longo discurso de Castle sobre como o sistema penal está falido e que as ações dele são justificadas, já que Matt só os incapacita por um tempo, já Castle acaba com o crime de vez. Isso obviamente leva ao velho questionamento de “bandido bom é bandido morto” e outros questionamentos da mesma linha.

A paleta de cores é muito mais voltada ao preto. Isso é evidenciado até no poster, onde vemos uma predominância de preto e azul.

As atuações são boas. Charlie Cox volta ao papel de protagonista, onde agora se vê entre a cruz e a espada, por vezes, cedendo a pressão até culminando em atos um tanto violentos. Jon Bernthal consegue trazer a personalidade vingativa de Frank Castle pela primeira vez de uma maneira bem orgânica. Élodie Yung consegue fazer o povo esquecer da personagem interpretada por Jennifer Garner, sempre precisar apelar para sensualidade, trazendo uma persona mais misteriosa, moralmente duvidosa e implacável. Elden Henson continua sendo o amigo apoiador, porém se vê numa encruzilhada entre ajudar o amigo com a carreira de herói ou continuar sendo advogado. Deborah Ann Woll é a única disposta inteiramente a descobrir o passado de Frank, porém acabará descobrindo segredos um tanto espinhentos pelo caminho.

A segunda temporada de Demolidor é mais do mesmo, mas o charme inédito que a primeira temporada ofereceu. Mesmo assim, se firmou como a melhor série do universo Marvel construído pela Netflix, que está começando a cair por terra, já que Luke Cage e Punho de Ferro não foram renovadas, restando apenas Jessica Jones, Justiceiro e o Demônio de Hell’s Kitchen.



Fã alucinado da sétima, oitava e nona arte, decidi me aprofundar em seus conhecimentos ao entrar na faculdade. Agora, formado em Realização Audiovisual na Unisinos, dedico meu tempo a muitas outras aventuras emocionantes.