25
fev
2020
É carnaval! Confira 7 ocasiões em que a festa foi lembrada no cinema e TV!
Categorias: Listas Radioativas • Postado por: Matheus Benjamin

Hoje é carnaval. No Brasil, a festa da carne se popularizou de forma arrebatadora e durante muitos dias de folia, várias pessoas comemoram de diversas formas, seja em blocos de rua, trios elétricos, frevo, escolas de samba e etc. Mas você sabe a origem da festa?

Carnaval vem de da expressão do latim carne vale, que traduzido de uma forma literal seria algo como “adeus à carne”, um período de jejum, mas também pode ter uma conotação de “remover a carne”, pelo período marcar o início da Quaresma (para o cristianismo é o período que precede a Páscoa). Seu início é remontado à Idade Antiga, por diversas civilizações e suas festas. Os egípcios tinham a festa de Ísis e os hebreus a festa das sortes. 

O festival na Roma antiga consistia em um desfile com máscaras que seguia um barco de madeira decorado, tanto que seu nome deriva de Navigium Isidis, na qual a imagem de Ísis (uma das principais divindades egípcias) abençoava a temporada de velejamento. Para a antropologia, o carnaval seria um ritual de reversão, no qual a sociedade inverte seus papéis e normas de comportamento. Nesse sentido, o carnaval poderia ser considerado um rito de passagem: da escuridão para a luz e um período no qual as pessoas estariam cegas para os “bons costumes”.

Em terras brasileiras é considerada a maior festa popular do país, sendo os desfiles das escolas de samba chamados de “o maior espetáculo da Terra”, entrando no Guinness Book em algumas ocasiões. Confira, então, 7 ocasiões em que a festa foi lembrada:

Castelo Rá Tim Bum (1994)

A primeira delas é uma aparição clássica. O episódio “Com que roupa eu vou” (uma referência à música de Noel Rosa) traz à tona um baile de carnaval com direito a marchinhas (como eram os primeiros blocos carnavalescos brasileiros) e muitas fantasias. O dilema do episódio se dá porque Nino não consegue escolher uma fantasia original e adequada à festança e por conta de um mal entendido acaba correndo perigo, junto com seus amigos do castelo, por conta do Lobo Mau que fugiu do circo. Muitas crianças morriam de medo desse lobo na infância, não é mesmo?

Corcunda de Notre Dame (1996)

Na animação da Disney, que se passa durante a Idade Média, é possível observar com muita fantasia como se davam os ritos carnavalescos da época por meio de uma representação extremamente interessante. Baseado no romance homônimo do francês Victor Hugo, originalmente nomeado Notre Dame de Paris, O corcunda de Notre Dame é um filme que aborda os marginalizados em uma Paris medieval. A música dá o tom ao longa-metragem que apresenta muitos confetes e fantasias, pessoas mascaradas e danças.

Apaixonados – O filme (2016)

De volta ao Brasil, no longa de Paulo Fontinelle três casais têm suas histórias cruzadas na época do carnaval. Tem escolas de samba, bloquinhos e muita folia. O filme conta com um elenco grandioso (Nanda Costa, Roberta Rodrigues, Raphael Viana, entre outros) e tem até algumas passagens interessantes, mas infelizmente é um pouco preguiçoso nos seus desenvolvimentos. A menção vale por mostrar de forma bastante concisa a festa mais popular do país.

Senhora do Destino (2004)

Existem muitas novelas que retrataram o dia a dia de uma escola de samba, até mesmo de algum bloco ou personagens ligados ao carnaval (como Duas Caras, Poder Paralelo e a mais recente Bom Sucesso), mas uma das que mais nos lembramos talvez seja a Unidos de Vila São Miguel, da novela Senhora do Destino, sempre lembrada por conta dos memes de sua grande vilã Nazaré Tedesco. O enredo apresentado pela escola homenageava a protagonista Maria do Carmo e a busca por sua filha roubada quando bebê. O seu presidente, Giovanni Improta, interpretado pelo saudoso José Wilker ganhou até filme solo anos depois.

Trinta (2014)

Um dos maiores carnavalescos brasileiros, Joãosinho Trinta, tem um dos seus primeiros momentos de brilho retratados no cinema: sua estreia na Acadêmicos do Salgueiro, tradicional escola de samba carioca. Ninguém dava nada por ele, mas o artista (interpretado por Matheus Nachtergaele) provou que era grandioso e se consagrou por conta de desfiles extremamente criativos e marcantes. Até quem não é familiarizado com carnaval já se deparou com seu clássico enredo e desfile “Ratos e urubus larguem minha fantasia”. Trinta morreu em 2011 em sua cidade natal São Luís do Maranhão.

Alô, Alô Carnaval (1936)

Carmen e Aurora Miranda.

O cinema brasileiro possui uma difícil relação com a cultura da preservação de seus primeiros filmes. Dito isso, fiquem cientes que nossa história do cinema tem muitos problemas, sobretudo porque a maioria dos filmes se perdeu conforme o tempo foi passando e grandiosos clássicos importantes para a compreensão do que temos hoje enquanto cinema foram para o lixo. Um filme bastante importante para entender a icônica Carmen Miranda é Alô, Alô Carnaval, produzido pela Cinédia, uma das produtoras cariocas mais famosas dos anos 30. Este filme conta com um enredo simples e diversas apresentações musicais e infelizmente é a única produção brasileira, com cópia preservada, que traz a artista no elenco.

Estou guardando para quando o carnaval chegar (2019)

O documentário lançado no ano passado traz uma história que não envolve diretamente a festa do carnaval, mas fala sobre uma cidade chamada Toritama em Pernambuco que tem uma estrita relação com seu diretor Marcelo Gomes, local onde são produzidas muitas peças em jeans por ano em fábricas caseiras. Os donos das fábricas e seus funcionários só descansam na época do carnaval, depois de trabalharem incansavelmente ao longo do ano e venderem tudo que poderiam. A boa notícia é que ele está disponível na Netflix.



Fã de Miyazaki, Villeneuve, Aïnouz e Bodansky. Estudante de Cinema e Audiovisual pela Universidade Estadual do Paraná. Produzi alguns filmes, entre eles "Alice." e "Lado B", pela Pessoas na Van Preta.