19
abr
2020
Conheça “Run”, a nova série da HBO
Categorias: Séries e TV • Postado por: Matheus Benjamin

Em pleno domingo de Páscoa, a HBO brindou seus espectadores com duas novas séries. Além da estreia da 4ª temporada de Insecure, de Issa Rae, o canal apostou também com a exibição do piloto de sua nova comédia dramática. Desenvolvida por Vicky Jones (de Touch), dirigida por Kate Dennis (de The Handmaid’s Tale) e com produção executiva de Phoebe Waller-Bridge (de Crashing, Killing Eve e Fleabag), Run é protagonizada por Merritt Wever e Domhnall Gleeson.

(HBO/Reprodução)

A 1ª temporada está prevista para ter, inicialmente, apenas 7 episódios. Cada um deles conta com cerca de 30 minutos de duração, um padrão muito apostado pela HBO. A trama é ambientada nos Estados Unidos e parte de uma premissa supostamente bem simples: Ruby (Wever) está plena em seu carro falando com uma pessoa ao telefone (aparentemente é seu marido, Laurence). Ela recebe um SMS de Billy (Gleeson) logo após desligar a ligação. A mensagem é simples e há apenas uma palavra no visor: RUN. Rapidamente sua expressão muda e atônita acaba respondendo a mensagem com a mesma palavra.

A premissa de Run traz algo bastante curioso à tela. Esses personagens prometeram um ao outro na época da faculdade, cerca de 15 anos antes dos eventos iniciais da série, que caso algum deles enviasse, em qualquer momento da vida que fosse, a palavra RUN por mensagem, deveriam largar tudo o que estivessem fazendo para juntos pegarem um trem sem destino a partir de Nova York. E é isso que acontece.

Mas se você acha que as respostas para tudo o que isso desencadearia estaria escancarado logo no primeiro episódio você está redondamente enganado. O piloto concentra-se apenas em inserir os espectadores no que a trama poderá trazer à tona. Apesar dos inúmeros segredos e mistérios que este episódio apresenta, logo vemos que trata-se de uma obra repleta de leveza, com pitadas de romance e muito bom humor.

(HBO/Reprodução)

Alguns dos segredos que podemos destacar é a vida pessoal de cada um deles. Sabemos um pouco sobre seus respectivos trabalhos, mas por enquanto nada acerca do momento em que estavam antes de partirem para essa instigante e repentina aventura. Inclusive, os protagonistas insistem em manter uma moratória para perguntas sobre as vidas pessoais até o dia seguinte. Lembrando que este primeiro episódio aborda pouco mais das horas iniciais do encontro de Ruby e Billy, além de uma certa tensão sexual que lhes causa momentos engraçados ao mesmo tempo que são bastante non sense.

O piloto termina de uma forma muito interessante, já que há uma certa inquietação nos últimos minutos. Os questionamentos só crescem, as aparências dos personagens parecem mudar e algumas coisas podem ser inferidas para mais adiante. O ponto final é um gancho que certamente será explorado no próximo episódio. Mas já adianto que achei o personagem de Gleeson um tanto quanto agressivo demais.

A preview divulgada pelo canal já mostra que Phoebe Waller-Bridge fará uma participação no elenco. Resta saber como tudo isso se amarrará até o final da temporada, que por enquanto merece ser assistida.



Fã de Miyazaki, Villeneuve, Aïnouz e Bodansky. Estudante de Cinema e Audiovisual pela Universidade Estadual do Paraná. Produzi alguns filmes, entre eles "Alice." e "Lado B", pela Pessoas na Van Preta.