18
jun
2020
Quarentena: Dicas de livros para ler um dia
Categorias: Listas Radioativas • Postado por: Rayane Taguti

Nem todo livro precisa ter mais de 500 páginas para impactar a vida de alguém. Alguns chegam a emocionar com menos de 30. É essa a concisão que essa lista procura e propõe para você, seja leitor iniciante procurando desenvolver o hábito de leitura, ou leitor experiente procurando experiências menores, mas profundas.

Sabendo que a maioria de listas do tipo propõe alguns clássicos como Fahrenheit 451, A Revolução dos Bichos, algum livro de Lev Tolstói, Machado de Assis e outros que você com certeza já leu ou já se encontra na sua lista, busco apresentar autores/obras não tão difundidos popularmente aqui no Brasil, assim como fugir um pouco do romance. A lista contém contos, poesia, peças de teatro, até livro infantil e também procura trazer mais autores não-brancos e mulheres para o foco.

AMORAS – EMICIDA (2019)

É a partir do rap autoral “Amoras” que um dos artistas brasileiros mais influentes da atualidade cria seu primeiro livro infantil e mostra, através de seu texto e das ilustrações de Aldo Fabrini, a importância de nos reconhecermos no mundo e nos orgulharmos de quem somos — desde criança e para sempre.

Número de Páginas: 37.
Disponível para leitura digital.

OLHOS D’ÁGUA – EVARISTO CONCEIÇÃO (2014)

Conceição Evaristo ajusta o foco de seu interesse na população afro-brasileira abordando, sem meias palavras, a pobreza e a violência urbana que a acometem. Em Olhos d’água estão presentes mães, muitas mães. E também filhas, avós, amantes, homens e mulheres – todos evocados em seus vínculos e dilemas sociais, sexuais, existenciais, numa pluralidade e vulnerabilidade que constituem a humana condição. Sem quaisquer idealizações, são aqui recriadas com firmeza e talento as duras condições enfrentadas pela comunidade afro-brasileira.

Número de Páginas: 105.
Disponível para leitura digital.

AUTO DA COMPADECIDA – ARIANO SUASSUNA (1955)

Sendo um drama do Nordeste brasileiro, mescla elementos como a tradição da literatura de cordel, a comédia, traços do barroco católico brasileiro e, ainda, cultura popular e tradições religiosas. Apresenta na escrita traços de linguagem oral [demonstrando, na fala do personagem, sua classe social] e apresenta também regionalismos relativos ao Nordeste. Esta peça projetou Suassuna em todo o país e foi considerada, em 1962, por Sábato Magaldi “o texto mais popular do moderno teatro brasileiro”.

Número de Páginas: 203.
Disponível para leitura digital.

HORA DE ALIMENTAR SERPENTES – MARINA COLASANTI (2013)

Esse livro de Colasanti talvez assuste um pouco pelo número de páginas, mas o conteúdo é de microcontos, alguns não contendo mais que três linhas na página. Embora pertencendo à literatura fantástica, os relatos ignoram fronteiras e se lançam com a mesma intimidade dentro e fora da realidade guiados pelo olhar irreverente e crítico da autora.

Número de Páginas: 242.
Disponível para leitura digital.

TRADUTOR DE CHUVAS – MIA COUTO (2015)

Livro de poesia que tem muito de autobiográfico, permite aos leitores mais atentos de Mia Couto descobrir as pontes da sua extraordinária obra literária.

Número de Páginas: 120.
Disponível para leitura digital.

HISTÓRIAS DA VELHA TOTÔNIA – JOSÉ LINS DO REGO (1936)

O escritor paraibano dedica esta obra aos meninos de todo Brasil, que como ele em sua infância adoram histórias de heróis e vilões. A temática dos contos é a tradicional luta entre o bem e o mal representados por personagens de caráter monolítico.

Número de Páginas: 120.
Disponível para leitura digital.

MEDEIA – EURÍPEDES (431 a.C.)

A mais famosa peça do grande trágico grego Eurípides narra a vingança da altiva Medeia contra Jasão, depois que este, após ter conquistado o Velo de Ouro com sua ajuda, a rejeita para desposar a filha do rei de Corinto. A tragédia foi incompreendida à época de sua apresentação, em 431 a.C., mas, ao deslocar o foco do coletivo para o individual, dando relevo inédito à psicologia humana e às personagens femininas, a obra de Eurípides se tornaria um dos pilares da dramaturgia moderna – e a figura de Medeia, uma das mais marcantes de toda a literatura.

Número de Páginas: 192.
Disponível para leitura digital.

GOTA D’ÁGUA – CHICO BUARQUE E PAULO PONTES (1975)

É uma adaptação de Medeia, de Eurípedes, ambientada à realidade urbana brasileira. Assim como na tragédia grega, Joana se apaixona por Jasão, os dois se casam e têm dois filhos. Depois, Joana é traída por Jasão, que se apaixona por Alma. Como na história de amor e vingança clássica, Joana provoca uma terrível tragédia. O texto apresenta nossa realidade, que é também, por extensão, a realidade de todos os oprimidos do mundo. Gota d’água é um clássico do nosso tempo.

Número de Páginas: 176.
Disponível para leitura digital.



Fã de todas as artes, tento atuar em cinema, música e literatura. Atualmente curso Cinema e Audiovisual na FAP. Do cult ao farofa, da nouvelle vague ao trash, do comercial ao experimental, curto tudo que gere uma conversa de bar ou uma crítica pro site.